Estudo

Rosa Luxemburgo: Conheça 5 obras sobre o pensamento da militante comunista polonesa

"A libertação da classe trabalhadora deve ser obra da própria classe trabalhadora", escreve Rosa Luxemburgo

Da Página do MST

Nascida no dia 5 de março de 1871, em Zamoṡc, na Polônia, a filósofa, economista e militante do Partido Social-Democrata Alemão, Rosa Luxemburgo completa 150 anos nesta sexta-feira (5).

Rosa de muitas Rosas! Pensadora e militante comunista, dedicou sua vida à luta de classe dos trabalhadores e devido suas ideias revolucionárias e prática militante esteve presa diversas vezes.

O centenário de nascimento de Rosa é celebrado no mês de março, no período de luta das Mulheres trabalhadoras Sem Terra do MST, que este ano pautam o lema “Mulheres pela vida, semeando resistência, Contra a fome e as violências” e a importância da luta e organização permanente dos diversos movimentos populares em um momento de pandemia. 

Nesse contexto, a luta e resistência das mulheres camponesas e das lutadoras urbanas ecoam o exemplo de Rosa Luxemburgo, que em sua trajetória de vida revolucionária atuou em diversas frentes: foi militante da política partidária, marxista, feminista, enfrentou o machismo da social-democracia alemã e defendeu os interesses das mulheres trabalhadoras.

A pensadora também foi uma das fundadoras da Liga Spartakus, organização socialista que atuou na Alemanha contra o militarismo e o imperialismo. Em seguida inspirou a criação do Partido Comunista Alemão.

Rosa Luxemburgo e seu companheiro de partido Karl Liebknecht foram presos e assassinados por tropas do governo alemão, em 15 de janeiro de 1919, em Berlim, Alemanha. A comunista teve uma vasta elaboração teórica durante sua vida, ela partiu da teoria de Marx para fazer a crítica ao modelo capitalista de produção e suas contradições estruturais, como a desigualdade entre as classes, os trabalhadores e os países do mundo. Em seus textos inéditos, também defendeu o esclarecimento e a organização dos trabalhadores e tinha convicção, de que a libertação da classe trabalhadora deveria ser obra da própria classe.

Rosa Luxemburgo, filósofa, economista e militante do Partido Social-Democrata Alemão, seu exemplo ecoa na luta das Mulheres Sem Terra. Foto: Divulgação

A pensadora-militante comunista denunciou, que o capitalismo instala um modelo de produção e exploração racista e sexista com objetivo de acumular mais-valia, ou seja, aumentar o lucro dos donos dos meios de produção. Hoje esses proprietários mais conhecidos são as industriais, empresários, latifundiários, entre outros, que exploram a mão-de-obra dos trabalhadores e trabalhadoras para obter lucro.

Confira algumas obras de Rosa Luxemburgo, publicada pela Editora Expressão Popular:

Coletânea de três volumes reúne obras mais importantes de Rosa Luxemburgo

Esta coletânea reúne os mais importantes escritos políticos de Rosa Luxemburgo. O primeiro volume traz a produção entre 1899 e 1914; o segundo de 1914 a 1919; e o terceiro reúne correspondências de 1893 a 1919.

A coletânea conta com versões originais de produções clássicas, como “Reforma social ou revolução?” e “Greve de massas, partido e sindicatos”, são acrescentados textos inéditos em português, como “Paralisia e progresso no marxismo” e “Direito de voto das mulheres e luta de classes” e “Credo” e “O que queremos?”. Bem como textos associados sobre algumas das principais polêmicas que marcaram a trajetória da autora.

Saiba mais AQUI.

Reforma ou revolução?

Nesta obra Rosa Luxemburgo estabelece um debate, em foco no Partido Social-democrata alemão, fundado em 1875, entre a opção pela reforma, defendida por Eduard Bernstein e a revolução. O livro surge de uma série de artigos, com a primeira edição lançada em 1900, em que a revolucionária demonstra, com base na retomada dos elementos centrais da crítica da Economia Política, a necessidade da ruptura revolucionária para se instaurar o socialismo. Apesar do impacto do livro, a social-democracia alemã adere às posições de Bernstein abandonando a perspectiva de transformação radical das estruturas sociais. E Rosa, juntamente com outros militantes, se volta para a criação de uma nova organização dos trabalhadores, com o objetivo na revolução social.

Quer adquirir? Clique AQUI.

Rosa Luxemburgo – Vida e obra

Nesta obra, a especialista em Rosa Luxemburgo no Brasil, Isabel Loureiro, apresenta o pensamento e a obra de uma das grandes revolucionárias e teóricas do século 20. Fundadora do Partido Comunista Alemão, Rosa Luxemburgo foi uma militante, dirigente, intelectual que lutou pelo socialismo contra o capitalismo durante toda a sua vida. Suas reflexões, ações políticas e sua compreensão da vida são fundamentais para o entendimento da luta de classes contemporânea.

Gostou? Adquira AQUI.

Rosa Luxemburgo e o protagonismo das lutas de massa

A obra organizada por Isabel Loureiro, tem como objetivo divulgar de forma ampla e didática as contribuições teóricas da militante comunista para a realidade atual da classe trabalhadora. A publicação inicia com uma nota biográfica e comentário sobre a linha mestra do pensamento político de Rosa Luxemburgo e, em seguida, apresenta a coletânea de textos escolhidos, com trechos de seus escritos mais importantes. Cada texto de Rosa Luxemburgo é precedido por um breve comentário de contextualização no conjunto da obra.

No contexto do livro, a autora traz a luz, o pensamento de Rosa a autonomia políticas das “massas” e seu papel histórico. Para a militante, somente as somente as “massas” esclarecidas, autônomas e politicamente conscientes de seu papel histórico, poderia se tornar protagonistas nos processos transformadores em direção a um sistema socialista democrático.

Quer saber mais? Dê uma olhada AQUI.

Socialismo ou barbárie – Rosa Luxemburgo no Brasil

A publicação, também organizada por Isabel Loureiro, apresenta entrevistas, com um balanço das ideias de Rosa Luxemburgo, mostrando que a militante comunista não está relegada ao museu do marxismo clássico, mas que a Rosa, socialista e democrática aparece no comentários em toda sua riqueza do marxismo anti-dogmático e libertário, seguindo como fonte inspiradora na luta contra o capitalismo.

Leia mais por AQUI.

*Editado por Wesley Lima