O golpe civil-militar e os 1.196 camponeses mortos pela ditadura

 

Da Página do MST

Sem dúvida alguma, uma das grandes marcas do ano de 2014 foi os 50 anos do golpe civil militar no Brasil.

E mesmo com seus limites, uma das conquistas do povo brasileiro em torno desse assunto foi a criação da Comissão Nacional da Verdade (CNV), responsável por investigar e reconstruir a memória sobre as violações de direitos humanos praticadas pelo Estado entre 1946 a 1988.

Jornada da Juventude denuncia os 50 anos do Golpe Militar no Ceará

Da Página do MST 

A juventude cearense saiu às ruas da capital Fortaleza para denunciar 50 anos do Golpe Militar de 1964, na manhã desta terça-feira (1).

A marcha seguiu em direção ao hospital do exército brasileiro, sedes de meios de comunicação (Rede Globo, Grupo cidade de comunicação) e para Assembleia Legislativa do estado do Ceará.

Dênis de Moraes: Reforma Agrária foi o que mais preocupou as classes dominantes

 

Por José Coutinho Júnior
Da Página do MST*

 

O período que precedeu o golpe militar foi marcado por intensas lutas sociais no campo. As Ligas Camponesas e os sindicatos rurais mobilizavam os camponeses para exigir que os direitos dos trabalhadores rurais fossem cumpridos.

Na esteira dessas mobilizações, o governo de João Goulart realiza diversas medidas que beneficiam os trabalhadores, além de anunciar que priorizaria a Reforma Agrária nas reformas de base, conjunto de medidas planejadas para garantir direitos sociais e desenvolver o país.

Reforma Agrária e o Golpe de 1964: imaginar o passado para projetar o futuro

 

Por Rafael Villas Bôas*
Especial para a Página do MST**

A paisagem monótona aos lados da maioria das estradas brasileiras, marcada pela monocultura de commodities agrícolas, com quase nada de vegetação nativa, amplos desertos verdes monocromáticos desprovidos de gente, poderia ser diferente se há 50 anos o destino do país não fosse golpeado por uma ditadura civil militar.

“Ditadura selou aliança entre latifúndio e burguesia industrial”, afirma professora

 

Por Caio Sarack
Da Carta Maior

 

A ditadura civil-militar foi responsável por cimentar relações que antes do golpe tinham de se ajustar uma a outra para poderem conviver. Em última medida, o período de 1964 até 1985 serviu para que interesses antes disputados por grupos de poder antagônicos tomassem corpo numa frente ampla: é o caso da aliança entre latifundiários e burguesia industrial na exploração da mão de obra no campo.