Votorantim continua causando morte no rio São Francisco

Por frei Gilvander Moreira Em 2 de outubro de 2009, dia do nascimento de Gandhi, antevéspera do dia de São Francisco de Assis, patrono do Velho Chico, cerca de 350 pescadores, Sem Terra, sindicalistas e representantes de Movimentos populares e da Via Campesina - membros da Articulação Popular em defesa do rio São Francisco - promoveram manifestação na cidade de Três Marias (MG), às margens do Velho Chico e no portão de entrada da Votorantim Metais.

Por frei Gilvander Moreira

Em 2 de outubro de 2009, dia do nascimento de Gandhi, antevéspera do dia de São Francisco de Assis, patrono do Velho Chico, cerca de 350 pescadores, Sem Terra, sindicalistas e representantes de Movimentos populares e da Via Campesina – membros da Articulação Popular em defesa do rio São Francisco – promoveram manifestação na cidade de Três Marias (MG), às margens do Velho Chico e no portão de entrada da Votorantim Metais.

Às 6h da manhã, após concentração na beira do rio São Francisco, iniciamos uma marcha, atravessando a ponte da BR 040, que está logo abaixo da barragem de Três Marias. Em frente à Votorantim Metais, a BR 040 foi bloqueada durante 30 minutos. Depois, aconteceu um Ato Público durante duas horas no portão de entrada da empresa, onde com faixas, gritos de luta e através de pronunciamento de muitas lideranças e pescadores foram denunciadas as agressões que a Votorantim vem provocando no rio São Francisco há 40 anos. No manifesto distribuído à população, assinado por 22 movimentos populares e sindicatos, consta, por exemplo, que:

a) A Votorantim é uma das principais empresas responsáveis pela poluição do rio São Francisco com metais pesados. Desde o final de 2004 já morreram 200 toneladas de peixes, principalmente surubins adultos contaminados por rejeitos tóxicos lançados pelo processamento de zinco da Votorantim Metais. Só de óxido de Zinco a produção chega a 110 toneladas por dia com 600 dólares de lucro por tonelada. A empresa vende esse produto, principalmente, para Pirelli, Michelin e outras indústrias de pneus que infestam as cidades de automóveis, prestando culto à automovelatria (carrolatria). Além de matar, diretamente, os peixes e, indiretamente, pescadores, causar devastação ambiental e social, a Votorantim infernaliza a vida nas cidades.

b) A Votorantim Metais começou a operar em 1969 e por 14 anos lançou seus rejeitos minerários diretamente no rio São Francisco. Somente em 1983 foi construída uma barragem de contenção de rejeitos. Mas, para facilitar a vida da empresa, a barragem foi construída na barranca do rio na cidade de Três Marias! Os metais pesados, através da infiltração, continuaram a se acumular no leito do rio. Hoje existe, no fundo do rio, um metro e meio de lama tóxica. Quando as comportas da barragem de Três Marias são abertas, essa lama é revolvida, contaminando ainda mais a água e os peixes. A poluição industrial da Votorantim Metais sempre esteve no cerne da contaminação das águas do Rio São Francisco. Por isso, os órgãos ambientais – os que não se vendem – exigiram a desativação da primeira barragem. Umas segunda foi construída pela empresa, mas de forma irregular, desrespeitando normas técnicas exigidas pelos órgãos ambientais. Continuou ocorrendo infiltração e a segunda barragem também foi reprovada. Em 2005, a empresa comprometeu-se em construir uma terceira barragem e cumprir mais 25 TACs – Termo de Ajuste de Conduta. A poluição continua, e não se tem informação sobre o cumprimento dos termos.

c) Relatórios e análises químicas de órgãos ambientais mostram que água, sedimentos e peixes apresentam índices alarmantes de contaminação por metais pesados, muitas vezes acima dos permitidos pelo Conama (Conselho Nacional de Meio Ambiente): zinco – 5.280 vezes; cádmio – 1.140; cobre – 32; chumbo – 42.

d) A CEMIG também foi denunciada pela abertura das comportas da usina de Três Marias para possibilitar os passeios turísticos do barco a vapor Benjamin Guimarães, e em época de outros eventos para camuflar a realidade do rio poluído, degradado e minguante. Com a súbita liberação das águas, muitas plantações dos vazanteiros são destruídas, e a consequência é mais fome.

A manifestação foi ostensivamente acompanhada pela Polícia Militar, que seguia a cartilha que lhe ordena a agir com truculência. Parou os 4 ônibus e revistou todas as pessoas e os pertences. No momento do trancamento da BR 040, policiais empurraram pescadores e Sem Terra, gritando e ameaçando com cacetetes. No Portão da empresa, a polícia impediu que fosse feito um piquete para tentar evitar a entrada dos trabalhadores. Já quase ao meio dia, após percorrermos muitas ruas da cidade de Três Marias, fomos “escoltados” até a sede do Sindicato dos Metalúrgicos, onde ficamos por um certo tempo sitiados.

Após tentar deter os militantes, os policiais foram alertados de que quem deveria ser presa era a Votorantim – pois está contaminando com metais pesados o rio São Francisco.

Belo Horizonte, 4/10/2009, dia de São Francisco de Assis, dia do rio São Francisco.

Frei Gilvander Moreira é mestre em Exegese Bíblica, assessor da Comissão Pastoral da Terra – CPT – e-mail: gilvander@igrejadocarmo.com.br – www.gilvander.org.br