Transgênicos: Brasil na contramão da história e da vida

Enquanto o Brasil vira refém das empresas transnacionais da agricultura e se transforma no segundo país do mundo a ter maior área cultivada com sementes transgênicas – todas elas controladas por empresas transnacionais e com combinação transgênica, que leva ao consumo de mais venenos – a Europa segue o caminho inverso.

Enquanto o Brasil vira refém das empresas transnacionais da agricultura e se transforma no segundo país do mundo a ter maior área cultivada com sementes transgênicas – todas elas controladas por empresas transnacionais e com combinação transgênica, que leva ao consumo de mais venenos – a Europa segue o caminho inverso.

O Greenpeace europeu divulgou nota que aponta que, em 2009, os agricultores europeus diminuíram em 11% a área cultivada com sementes transgênicas. De acordo com a Agência Bloomberg, a diminuição se deve à elevação dos preços das sementes transgênicas, controladas em forma de oligopólio por algumas poucas empresas. Além disso, há falta de mercado consumidor para esse tipo de produto, e a maioria dos governos exige que haja separação total entre produtos transgênicos e produtos naturais.

Já aqui no Brasil, a política do governo aliado aos interesses das empresas transnacionais caminha no sentido completamente contrário. As transnacionais agradecem!

(Com informações do jornal Valor Econômico)