Bispos da CNBB manifestam “preocupação” com agronegócio

Da Comissão Pastoral da Terra de Goiás

Os 14 bispos que integram a seção Regional Centro-Oeste da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) divulgaram uma carta aberta em que se dizem “preocupados com o avanço do agronegócio” nesta região do país, na quarta-feira (17/3).

Os bispos reafirmam a posição favorável a Reforma Agrágria, o apoio aos movimentos de luta pela terra e lamentam que “reforma agrária deixou de ser prioridade dos governos federal e estadual”.

Da Comissão Pastoral da Terra de Goiás

Os 14 bispos que integram a seção Regional Centro-Oeste da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) divulgaram uma carta aberta em que se dizem “preocupados com o avanço do agronegócio” nesta região do país, na quarta-feira (17/3).

Os bispos reafirmam a posição favorável a Reforma Agrágria, o apoio aos movimentos de luta pela terra e lamentam que “reforma agrária deixou de ser prioridade dos governos federal e estadual”.

As monoculturas de cana-de-açucar, para produzir etanol, soja e eucalipto, além de outras culturas, de acordo com a nota, “vem invadindo as terras dos agricultores em geral destinadas a produção de alimento que vai à mesa dos brasileiros”.

Além da provocar a destruição do Cerrado, os bispos sustentam que esse processo promove a a concentração de terra e o trabalho escravo.

O Regional Centro-Oeste é composto pelos estados de Goiás, Tocantins e o Distrito Federal.

Baixe o arquivo anexo no final desta página e leia a carta dos bispos.