O MST no XI Congresso Brasileiro de Agroecologia

Movimento participou do 1º Festival Internacional de Cinema Agroecológico com a exibição do curta Ocupar, Resistir e Produzir! – As feiras do MST

[251]ficaeco1.jpeg
1º Festival Internacional de Cinema Agroecológico (FICAECO) . Foto: Divulgação

Da Página do MST
 

Durante três dias, quem passou pelo XI Congresso Brasileiro de Agroecologia pode acompanhar as exibições do 1º Festival Internacional de Cinema Agroecológico (FICAECO) que aconteceu na Universidade Federal de Sergipe (UFS), Campus São Cristovão.

A proposta do festival foi de dialogar sobre as diferentes questões que envolvem a agroecologia. Nos desafios do processo diário de construção do fazer agroecológico, o audiovisual cumpre um papel fundamental, seja como ferramenta tecnológica na luta pela defesa dos territórios, na construção de sua memória, ou com o abrir portas para o diálogo e troca de saberes fortalecendo a identidade cultural, o território simbólico e a relação justa e igualitária entre o ser humano e o meio ambiente. 

Os filmes exibidos apresentaram diferentes questões que envolvem a agroecologia. Na Mostra Principal foram selecionados filmes que fomentam a valorização da cultura tradicional camponesa, discutem a temática dos agrotóxicos e transgênicos, o acesso à terra, as mudanças climáticas, sociais e culturais, entre outros.
 

[250]ficaeco1.jpeg

Na Mostra Principal foram selecionados 28 filmes e 7 na Mostra Especial. Estão inclusos na categoria longa-metragem, média-metragem e curtas, nos gêneros: ficção, animação, documental ou experimental. Entre os selecionados, destacam-se produções dos estados de Pernambuco, Bahia, Santa Catarina, Paraíba, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Tocantins, Distrito Federal, Pará, Minas Gerais, Ceará e Acre, além de produções internacionais vindos da Colômbia, Argentina, Bolívia, Cuba e Estados Unidos. 

O MST foi homenageado com o Troféu Ana Primavesi, junto com cineastas, pesquisadora/es, representantes de comunidades tradicionais e povos originários pelos trabalhos prestados na construção e produção cinematográfica em diálogo com a Agroecologia.
 

Sobre o curta

Ocupar, Resistir e Produzir! – As feiras do MST foi produzido pela Brigada de Audiovisual Eduardo Coutinho (BAEC) em 2018. O documentário mostra como as feiras do Movimento Sem Terra celebram nossa luta pela Reforma Agrária Popular. O curta foi um dos selecionados para a exibição que visa promover e incentivar as produções audiovisuais que promovam iniciativas pela biodiversidade e a agroecologia.

Depois de ocupar e produzir, resistimos cotidianamente socializando nossa cultura e a produção de alimentos saudáveis com o povo da cidade. Nós seguimos em luta, pois acreditamos que outro modelo de produção é a base de uma sociedade livre e justa.