Territórios em risco: o avanço da megamineração no Rio Grande do Sul

Promovida pelo Comitê de Combate à Megamineração, transmissão ao vivo vai trazer o debate do tema às segundas-feiras

Foto: CCM/RS

Por Comitê Combate à Megamineração/RS
Da Página do MST

São evidentes as diversas crises que enfrentamos à nível ambiental, sanitário, democrático e econômico e momentos como este podem nos deixar vulneráveis à entrada de falsas soluções para as crises em nossos territórios, através de modelos de exploração econômica saqueadores e degradadores da qualidade ambiental e de vida das comunidades. Este é o caso da nova fronteira mineral que avança no Rio Grande do Sul.

São mais de 5 mil requerimentos de pesquisa mineral em solo gaúcho e quatro megaprojetos já estão em licenciamento ambiental no estado, colocando em risco diversos territórios. O debate é urgente!

A mineração no Brasil é um saque, tendo em vista que os irrisórios impostos gerados (e em grande medida sonegados pelas empresas), não compensam toda degradação do ar, rios, campos, matas e biodiversidade, a geração de doenças, os riscos de catástrofes, a perda da segurança hídrica e alimentar, o desrespeito aos modos de vida das comunidades tradicionais e originárias e a destruição de empregos e cadeias produtivas locais verdadeiramente sustentáveis.

Estes serão alguns dos temas que serão debatidos toda segunda-feira no “Seminário Online Territórios em Risco: o avanço da megamineração no Rio Grande do Sul”, promovido pelo Comitê de Combate à Megamineração (CCM), articulação de mais de 100 entidades de diversos setores da sociedade que lutam pela soberania popular e a favor da VIDA. A mesa de abertura do Seminário é nesta segunda (08), às 20h.

De início, vamos falar sobre a experiência de luta do CCM/RS e a união de mais de cem entidades na defesa da vida contra a megamineração. Pra assistir é fácil, a mesa de abertura está integrada na programação do Fórum Popular da Natureza. Por isso, a transmissão ao vivo será pelo Facebook e pelo Youtube do Fórum. Seguem os links:

Na abertura, participam da conversa quatro integrantes do CCM/RS, Michele Ramos (MAM), Salete Carollo (MST e Instituto Preservar), Eduardo Raguse (AMA Guaíba) e Marcos Todt (APCEF). A transmissão ao vivo nos permite interagir, então a ideia é abrir a roda de conversa pra quem estiver acompanhando!

A continuidade do Seminário acontecerá toda segunda-feira às 19h, pelas redes do CCM/RS. São as #2asPelaVida, com mesas temáticas que buscam avançar neste debate da relação da mineração com a economia, os ambientes, sociedade, direitos humanos, povos originários e tradicionais, saúde e alternativas ao modelo mineral vigente. A partir de várias perspectivas: dos territórios, do movimento ambientalista, feminista, indigenista, por Reforma Agrária, por moradia, sindical, da ciência, da saúde, da soberania popular, do bem viver e outros tantos que se somam na luta pela VIDA!

Para contato, entre nas redes sociais do CCM/RS (Instagram e Facebook) ou mande um e-mail para combateamegamineracaors@gmail.com.

*Editado por Luciana G. Console