Campanha de Solidariedade realiza plenária com presença de Boaventura Santos

Plenária contou com a participação de movimentos de luta pela moradia, pela reforma agrária, agricultura familiar, de mulheres, de combate ao racismo, juventude, LGBTQI , dentre outros

O professor Boaventura Souza Santos em live na última sexta. Foto: Reprodução

Da campanha de solidariedade “Vamos Precisar de Todo Mundo”

A campanha de solidariedade “Vamos Precisar de Todo Mundo” realizou nesta sexta-feira uma plenária em atenção aos 100 dias desde que foi lançada no início de abril. A plenária contou com a participação de movimentos de luta pela moradia, pela reforma agrária, agricultura familiar, de mulheres, de combate ao racismo, juventude, LGBTQI , dentre outros. E reuniu 200 dirigentes e representantes das maiores organizações políticas de esquerda no Brasil, com todos os estados representados.

O principal convidado do encontro foi o professor Boaventura Souza Santos que, mais uma vez, deu uma aula sobre conjuntura política e sobre a situação do mundo e do Brasil diante da pandemia.

“O Brasil é um dos poucos países do mundo que está tendo de conviver com duas crises: a pandemia e crise política”, afirmou o sociólogo português. “De modo que a crise política impede o país de lidar como deveria com a crise sanitária, ao mesmo em que é difícil enfrentar a crise política numa situação de quarentena”.

Boaventura aproveitou a plenária para celebrar a unidade da Frente Brasil Popular e da Frente Povo Sem Medo, e defendeu a continuidade das ações campanha de solidariedade. “Precisamos tirar da cabeça a ideia de que solidariedade é filantropia. Esta é uma ideia de solidariedade fraca. Nossa solidariedade é forte. É a solidariedade que organiza a luta e que dá esperanças à classe trabalhadora”.

O professor lembrou ainda a necessidade de organização política no processo de enfrentamento ao governo fascista no Brasil, citando como exemplo a recente mobilização contra a precarização do trabalho dos entregadores de aplicativos. “Temos de enfrentar a pandemia da saúde, e o pandemônio da exploração. E quando a pandemia passar, nossa luta contra o pandemônio terá de continuar”. E concluiu: “não haverá uma saída para nós se não houver luta nas ruas e nas praças”

Após a fala do sociólogo, numa plenária animada e extremamente participativa, a campanha fez um grande balanço das ações realizadas até aqui, com apresentação de experiências em todas as regiões que vão desde a doação de alimentos e cestas básicas e a produção artesanal de produtos de limpeza e higiene, até iniciativas variadas de assessoria jurídica, campanhas de enfrentamento à violência contra a mulher e acompanhamento de famílias com dificuldade de acesso ao auxílio-emergência.

Nestes 100 primeiros dias, a campanha “Vamos Precisar de Todo Mundo” já doou cerca de 3,2 mil toneladas de alimentos através de 300 pontos organizados pelo Brasil e em diversas comunidades rurais e bairros periféricos em todo o país.

Após o balanço, o conjunto de movimentos presentes debateu sobre os desafios da campanha daqui pra frente, como a necessidade de fortalecer ainda mais as ações nos estados, envolver mais organizações e ampliar as iniciativas de solidariedade enquanto a pandemia durar.

Todas as informações da campanha “Vamos Precisar de Todo Mundo”, estão no site todomundo.org. Lá é possível saber onde a campanha se organiza, conhecer as suas ações e também participar da rede de solidariedade.

O vídeo da plenária e da fala está disponível abaixo:

🔴 AO VIVO: Plenária 100 dias da Campanha de Solidariedade Vamos Precisar de Todo Mundo

📆 Há 100 dias, diversas organizações populares, sociais, sindicais das Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo estão atuando no cotidiano de comunidades em maior situação de vulnerabilidade.📌 Para realizar balanços, conhecer experiências e apontar desafios das iniciativas, realizamos a Plenária 100 dias da Campanha de Solidariedade Vamos Precisar de Todo Mundo. 📱💬 Acompanhe!YouTube: Facebook:

Publicado por Frente Brasil Popular em Sexta-feira, 17 de julho de 2020