Formação

Curso Paulo Freire aprofunda pensamento do autor junto às organizações populares

Objetivo da formação é estimular reflexões sobre obra do pensador e experiências de educação popular
Curso reúne educadores e educadoras populares envolvidas na construção dos movimentos sociais, organizações e coletivos. Foto: Vinícius Braga

Por Comunicação Escola Nacional Paulo Freire
Da Página do MST

A Escola Nacional Paulo Freire iniciou, no fim de abril, o curso nacional Paulo Freire, com o objetivo de reunir militantes para debater e trabalhar a educação popular e resgatar a obra desse pensador que contribuiu para pensar a elaboração de caminhos na transformação da sociedade.

As aulas aconteceram na própria escola, localizada no bairro do Ipiranga, em São Paulo. Com a participação de militantes e educadores(as) de nove estados do país. O curso foi um convite ao estudo de sua vida e obra, sistematizada ao longo da sua experiência com os movimentos educacionais. Até o fim do ano, a expectativa é que sejam realizadas mais duas etapas.

Segundo Luiz Bugarelli, da coordenação político-pedagógica da Escola, o curso busca reunir educadores e educadoras populares que estão envolvidas na construção dos movimentos sociais, organizações e coletivos, para, juntos, pensarem e repensarem as práticas coletivas a partir do legado de Paulo Freire. “A finalidade do curso Paulo Freire é dedicarmos um tempo para refletir sobre a vida e a obra do educador, por acreditarmos que o pensamento dele tem algo a nos dizer sobre os desafios do nosso momento histórico”, explica.

Entre os temas tratados durante a primeira etapa, destacam-se os aspectos iniciais da vida de Paulo Freire, os movimentos educacionais nos anos 1960, a Formação Social Brasileira e as fontes teóricas do educador pernambucano. Além disso, foram trabalhadas duas de suas obras: Educação e Atualidade Brasileira e Educação como prática da Liberdade.

Fotos: Vinícius Braga

Primeiro curso após início da pandemia

A realização da primeira etapa do curso marcou o retorno dos cursos presenciais na Escola Nacional Paulo Freire. Desde 2019, a escola, que é construída pelo Levante Popular da Juventude e tem como objetivo ser um espaço de formação da classe trabalhadora protagonizado pela juventude, realiza diversas atividades de formação. A pandemia da Covid-19 adiou parte das atividades previstas, dando início a uma série de atividades virtuais, que, gradualmente, retornam para sua dinâmica presencial.

Ainda de acordo com Luiz, o curso é parte do processo de construção da mensagem política da Escola Nacional Paulo Freire. “A gente homenageia o Paulo Freire na Escola, mas não queremos construir apenas uma homenagem nominal. Queremos trazer o conteúdo do seu pensamento para a identidade pedagógica da escola, e assim, refletir sobre as nossas práticas enquanto organizações populares.”, reforçou ele.

PARA SABER MAIS:

As informações da escola estão no Instagram: @escola.paulofreire e contatos podem ser feitos no e-mail secretaria@escolapaulofreire.org.br

*Editado por Solange Engelmann