Na Bahia, futebol é utilizado como ferramenta de intercâmbio entre a juventude

“O esporte tem o dom de transformar, sensibilizar, mobilizar e aproximar pessoas. E esse é nosso objetivo, estreitar as nossas relações com outros acampamentos e assentamentos”, afirmou assentado.

 

WhatsApp Image 2016-10-19 at 11.01.jpg

 

Por Coletivo de Comunicação do MST na Bahia
Da Página do MST

Neste último domingo (16) mais de 120 jovens Sem Terra promoveram um grande intercâmbio social e esportivo com a realização de jogos de futebol, reunindo algumas áreas do MST, como os acampamentos Anita Garibalde e Fábio Santos e o Assentamento Bela Manhã, ambos localizados no Extremo Sul da Bahia.

O evento já se tornou uma tradição entre as comunidades, que se reúnem duas vezes ao mês para contarem histórias, compartilhar alegrias e se confraternizarem com um almoço coletivo, acompanhado por músicas, danças e culminando com a partida de futebol.

“O esporte tem o dom de transformar”

Para Beto de Jesus, coordenador do esporte no Bela Manhã, estes momentos são importantes, pois trazem muita diversão à juventude Sem Terra, além de proporcionar sua inserção e a participação na construção da Reforma Agrária Popular.

WhatsApp Image 2016-10-19 at 00.52.34.jpeg
Time de futebol do Acampamento Fábio Santos

“O esporte tem o dom de transformar, sensibilizar, mobilizar e aproximar pessoas. E esse é nosso objetivo, estreitar as relações com outros acampamentos e assentamentos. Nesse sentido, o esporte é uma das ferramentas propulsoras”, afirmou Beto.

Já para Luciane Dias, coordenadora geral do Bela Manhã, o esporte possibilita o resgate da juventude e proporciona o protagonismo dos mesmos na vida diária das comunidades.

“A falta de políticas sociais que contemplem a juventude do campo e da cidade provoca a exclusão e criminalização dos sujeitos. Diante disso, nós Sem Terra nos preocupamos com a juventude e buscamos diariamente mecanismos de inclusão social e participação política”, explicou.

No final da tarde mesmo com os placares apontando uma diferença numérica, 2 x 1 e 4 x 0, não houve perdedores entre as comunidades. Todos saíram ganhando, pois o que prevaleceu foram as relações de amizade, confraternização, companherismo e unidade.

*Editado por Wesley Lima