Seminário discute Juventude, Comunicação e Cultura no atual cenário político

“O processo do coletivo mostrou pra comunidade que é possível fazer comunicação de verdade”, afirmou Wellington sobre o projeto CEICINE

 

seminario.jpg
O Seminário apontou a necessidade da democratização da comunicação em nosso país. Foto: Leonardo Milano

Da Página do MST 

O Seminário Juventude, Cultura e Comunicação Popular aconteceu na manhã deste sábado (10), na Praça São Sebastião, em Planaltina-DF. O evento integra a programação do 1º Circuito de Feiras e Mostras Culturais da Reforma Agrária. 

Entre os convidados para mediar o debate, esteve presente Agostinho Reis da TV Comunitária, Sheila Campos da Rádio Cultura, Wellington Abreu da CEICINE (Coletivo de Cinema de Ceilândia) e Adriana Gomes do setor de comunicação do MST.

Acompanhe a cobertura do evento 

“Como é que nós vamos falar de nós mesmos? Qual o recorte faremos do MST em nossas mídias?”, esse questionamento apresentado por Wellington Abreu, apontou o debate para a forma como os movimentos populares são retratados pela grande mídia. 

Ainda nessa perspectiva, Wellington comentou sobre o projeto Coletivo de Cinema de Ceilândia. “A ideia era fazer comunicação na comunidade, com e para a comunidade. Com o CEICINE, o povo passou a se sentir representado e isso incomodou a grande imprensa. O processo do coletivo mostrou pra comunidade que é possível fazer comunicação de verdade”, salientou.

seminario2.jpg
O Circuito também tem funcionado como laboratório
para a formação da juventude em comunicação.
Foto: Leonardo Milano

Concentração midiática no Brasil 

No Brasil, as difusões de informações pelos meios hegemônicos estão subordinadas aos poderes políticos e econômicos. Os últimos 20 anos foram determinantes para a grande mídia se consolidar como instrumento de construção de sentidos, subjetividade e opinião pública. Bem como, instalar a lógica de mercantilização da cultura e da linguagem. Assim, esse poder também pode ser um fator de desestabilização em distintas regiões do mundo. 

Sheila Campos, da Rádio Cultura, colocou apontamentos sobre a familiaridade dos sujeitos com as técnicas de expressão e culturais. Além de ressaltar que é preciso criar mecanismos de estruturação de sistemas por uma comunicação mais plural e democrática. 

“Quando a gente não ocupa os espaços da comunicação, outro grupo ocupa ou monopoliza”, é assim que Sheila sugere o desafio da democratização da comunicação em nosso país. 

seminario1.jpg

O 1º Circuito de Feiras e Mostras Culturais da Reforma Agrária do Distrito Federal começou nesta sexta-feira (09), na Praça São Sebastião, em Planaltina, e vai até este domingo (11). Inúmeras atividades estão sendo realizados, entre elas seminários, cineclube, teatro, além da venda de alimentos e produtos variados produzidos pelos mais de 200 assentados que estão com barracas na feira.