MST realiza plantio de árvores em todo o país

Confira as ações em diversos estados na semana da árvore na campanha “Plantar Árvores, produzir alimentos saudáveis”

Da Página do MST

Entre os dias 20 e 26 de setembro, o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra realizou uma grande jornada de plantio de árvores em todo o país.

A semana: Plantemos a Resistência: Contra o Genocídio e os Despejos – que faz parte do Plano Nacional Plantar Árvores e Produzir Alimentos Saudáveis, lançado pelo MST no início do ano de 2019 – é uma resposta ao desmatamento recorde, às queimadas que assolam o país e à política exercida pelo governo Bolsonaro.

As ações foram divididas em dois eixos principais: o plantio massivo de árvores nas áreas ameaçadas de despejo e a construção de bosques em memória aos mortos pela pandemia do novo coronavírus.

Abaixo veja as ações dividas por estado:

Paraná

Em Santa Catarina, a semana começou com ações do plantio de árvores e com a construção de bosques em homenagens aos mortos pela covid-19. No assentamento 30 de Outubro, em Campos Novos, foram realizados pela Brigada Sepé Tiaraju ações de plantio e distribuição de 1000 mudas nativas e frutíferas, entre elas: ipê, uva Japão, jacarandá, goiabeira nativa, a pitanga e araçá.

Em Rio Negrinho, o ato simbólico se concentrou no assentamento Edson Soebert em atividade conjunta da Brigada Lutas Camponesas e da Cooperativa Regional de Industrialização e Comercialização Colcimar Luis Brunetto.

No município de Abelardo Luz, as ações aconteceram no acampamento KIDE, protagonizada pelo coletivo de Juventude do MST. O acampamento tem uma história de seis anos, onde as famílias resistem debaixo da lona preta, cultivando e produzindo alimentos. Já no município de Major Vieira as ações do Plano Nacional “Plantar Árvores, Produzir Alimentos Saudáveis”, aconteceram no acampamento Dom Pedro Casaldáliga.

O acampamento é resultado de uma ocupação de 5 de setembro, em área do Instituto Brasileiro de Colonização e Reforma Agrária (INCRA), que anteriormente estava coberta pelo monocultivo de pinus. Em Chapecó, cerca de 300 mudas de árvores nativas foram plantadas inaugurando o Bosque Dom José Gomes. O plantio das mudas foi feito a muitas mãos, e se estendeu até o anoitecer.

Foram plantadas cerca de 300 mudas árvores nativas, entre elas: o cedro, pinheiro, pitanga, goiaba, jabuticaba, ameixa, sete capote, mirra, uvaia e sassafrás. Na ocasião, Geneci Andrioli, do setor de saúde, destacou que “o bosque recebeu o nome de Dom José Gomes, e em sua homenagem foi plantada uma muda de cedro, simbolizando as romarias [da terra]”.

Em Porecatu as famílias Sem Terra prepararam uma área de 1,1 hectares no centro comunitário do acampamento que em homenagem a Engenheira Agrônoma Ana Primavesi levará o nome de “Bosque da Biodiversidade Ana Primavesi”.

Em Santa Catarina, o MST inaugurou dois Bosques, em Campos Novos e Chapecó; também foi iniciada a recomposição da mata nativa em área devastada pelo pinus e que há poucos dias foi ocupada pelo Movimento, no município de Major Vieira; além de plantar mudas de árvores nativas em Abelardo Luz, Campo Erê e Rio Negrinho.

Ao todo foram 1600 árvores nativas plantadas e que serão cultivadas por mãos Sem Terra. O plantio das 1600 mudas foi realizado pelas mãos Sem Terra, indígenas, de amigos do MST, de pastorais, partidos, sindicatos.

Ao todo, as famílias Sem Terras de 10 municípios do Paraná realizaram o plantio de mais de 7.000 mudas de árvores nativas e frutíferas nos seguintes municípios: Porecatu (1000 mudas), Matelândia (1000 mudas), Londrina (1000 mudas), Catanduvas (500 mudas), Lapa (550 mudas) Quedas do Iguaçu (300 mudas), Florestópolis (250 mudas), Maringá (22 mudas), Cascavel (2110 mudas), Laranjal (300 mudas). Também foram realizadas atividades de cunho pedagógico, ambiental e cultural e doações de mudas nas escolas.

Rio Grande do Sul

No Rio Grande do Sul, educandos e pais da Escola Nova Sociedade, do Assentamento Itapuí, em Nova Santa Rita (RS), ao retirarem as apostilas de estudo para as aulas remotas, levaram para casa mudas de árvores. Integrantes da Coperforte, de Santana do Livramento, atravessou o estado para buscar a doação de 1600 mudas de árvores nativas do horto da Creluz. As mudas serão divididas em três regiões e para comunidades urbanas de Santana do Livramento.

A Juventude Sem Terra de Eldorado do Sul também se somou na semana de plantio de árvores. Plantando árvores nativas e frutíferas, produzindo alimentos, embelezando os jardins e escrevendo poemas.

Ceará

Ao todo já foram plantadas 10.604 mudas, nativas e frutíferas em todo o estado. Durante a semana de plantio de árvores, a mobilização se intensificou com as brigadas e a juventude Sem Terra plantando árvores em memórias as vítimas do Covid-19.

Piauí

No Piauí a Campanha do Plantio de árvores organizou viveiros nos assentamentos e realizou o plantio de 400 mudas.

Roraima

As famílias Sem Terra do acampamento Lula Livre, em Mucajaí, participaram das ações com o plantio massivo de mudas de árvores no território.

Bahia

A Escola Municipal Paulo Freire, no município de Santa Cruz Cabrália, contribuiu com o plantio de 21 mudas de árvores na área coletiva do assentamento Gildasio Sales.

Pernambuco

Nas regiões metropolitana, litoral e agreste pernambucano foram realizadas ações de plantios de mudas. Uma das áreas beneficiadas é às margens do açude Engenho Novo. O objetivo de conservar as águas e aumentar a flora, para que a fauna mantenha seu habitat natural.

Durante as atividades foi ressaltado também a importância de inserir as crianças no plantio,  buscando fomentar a educação ambiental para que cresçam sabendo da importância da natureza, semeando os frutos para o futuro.

Rio Grande do Norte

A juventude da Comuna Terra Prometida, localizada no litoral norte do estado realizou uma ação simbólica de distribuição de mudas de árvores da região. Já a brigada Carlos Marighella também promoveu um plantio de árvores frutíferas em suas áreas, envolvendo as crianças sem terrinhas.

Maranhão

Em articulação com a Via Campesina e outras organizações, o estado realizou a Semana de Plantio de Árvores, com protagonismo das mulheres Sem Terra nas ações.

Na Regional de Itapecuru aconteceu o ato de lançamento do bosque coletivo, com o plantio de árvores e a troca de mudas medicinais e saberes entre mulheres. Em Açailândia as ações aconteceram nos arredores das escolas com distribuição de mudas. Já no acampamento Marielle Franco teve a arborização das ruas do acampamento e a construção de um viveiro de mudas. Na regional Tocantina aconteceu a troca de mudas medicinais e a doação de cestas de alimentos para famílias catadoras de material reciclado.

Rio de Janeiro

Um ato simbólico aconteceu na praça de Quatis com plantio de árvores e a realização doações de alimentos para no hospital São Lucas. Além disso, a região sul do estado tem o objetivo construir um viveiro de mudas nativas, frutíferas e uma estufa com mudas olerícolas orgânicas no assentamento Irmã Dorothy. O plantio irá auxiliar na campanha de embelezamento no assentamento e reflorestamento da mata ciliar do Rio Paraíba do Sul, nas estradas coletivas e espaços públicos da cidade.

Pará

Acampados do Olga Benário, localizado no município de Acará, realizaram um ato oficial de lançamento da campanha nacional no estado. Na ocasião, as famílias reafirmaram o compromisso do plantio de árvores e com a produção de alimentos saudáveis e com distribuição de mudas cultivadas no viveiro do acampamento. A meta das famílias é plantar mais de 12 mil árvores/ano. Na regional Cabana a meta é 200mil/ano.

Rondônia

O estado realizou o plantio de árvores em diversas regionais e organizou a coleta de sementes e o viveiro de mudas. O viveiro de mudas será instalado no Assentamento 14 de agosto, em Ariquemes (RO) e está sendo construído pelo grupo de juventude. O viveiro terá a capacidade de produzir 30 mil mudas por ano de espécies nativas da Floresta Amazônica.

Goiás

Em Goiás, foram plantadas 500 mudas de árvores durante a Semana Nacional. As ações começaram em Catalão, com plantio e doação de alimentos. No dia 25 de setembro, em parceria com outras organizações e com o Sindicato dos Servidores da Saúde do Goiás, foram plantadas 50 mudas de árvores, que vai se transformar numa agrofloresta, em homenagem aos trabalhadores e trabalhadoras da saúde mortos durante o enfrentamento da Covid-19 no estado. Também aconteceram ações de plantio em assentamentos e acampamentos de outros municípios do interior do estado, como Santa Helena e Palmeiras das Missões.

Mato Grosso do Sul

No Mato Grosso do Sul, durante a Semana “Plantemos a Resistência”, a juventude Sem Terra do estado se organizou na construção de um viveiro com capacidade de produzir 50 mil mudas. O viveiro está sendo construído no Centro de Formação e Pesquisa Geraldo Garcia (CEPEGE), no assentamento Geraldo Garcia, em Sidrolândia (MS).

A regional Cone Sul fez o planejamento do plantio de árvores e realizou a coleta de sementes de árvores nativas da região, com o objetivo de fazer a troca dessas sementes e produzir mudas no viveiro local.

Mato Grosso

As ações se concentraram em coletas de sementes nas áreas de reservas dos assentamentos. Essas sementes serão usadas para a produção das mudas nos assentamentos.

Minas Gerais

Famílias Sem Terra do assentamento Nova Vida, em Novo Cruzeiro, na região do Mucuri, em Minas Gerais, realizaram um plantio de árvores nativas em nascentes que estão dentro do assentamento. Foi assim que as famílias reafirmam seu compromisso com o meio ambiente, com a produção de alimentos saudáveis e a materialização da Reforma Agrária Popular. Também aconteceram plantios de árvores e ações de embelezamentos nos assentamentos na regional Vale do Rio Doce, Alto Paranaíba, regional metropolitana e doação de mudas no norte do estado.

Distrito Federal e Entorno

No DF e Entorno foi realizado um plantio em todas as áreas do Movimento no estado com mutirões. Além disso, foi construído um Bosque da Memória, em Ceilândia, para lembrar aqueles e aquelas que tombaram por conta do coronavírus e da omissão do governo Bolsonaro. O plantio de árvores nas áreas de acampamento e assentamento foram realizados nas áreas coletivas, áreas de preservação permanente, com muita mística do embelezamento dos territórios e faixas com nossas palavras de ordem.

São Paulo

Em Pontal do Paranapanema, na manhã do dia 23, foi dia de tarefa no Bosque Dom Pedro Casaldáliga, em Sandovalina. A Juventude Sem Terra do Pontal do Paranapanema, em parceria com a ETEC Nair Lucas Ribeiro realizou a manutenção das 200 mudas já plantadas no bosque, além do plantio de mais de 200 novas mudas nativas.

E, reafirmando o compromisso permanente em preservar a natureza e colocar alimentos saudáveis na mesa da população do campo e da cidade, neste sábado (26), começou a construção do Bosque pela Vida, na Comuna da Terra Irmã Alberta.

O bosque lembrará daquelas e daqueles que tombaram por conta da Covid-19 e da política genocida do governos Bolsonaro. Já no Armazém do Campo – SP, foram doadas dezenas de mudas para a população da cidade. O estado também distribuiu 50 mil mudas para serem plantadas em todas as regionais do estado.

Ouça a matéria completa:

*Editado por Fernanda Alcântara