despejo

Incra se omite e famílias são despejadas no interior do Rio

 

Por Fernando Moura e Mariana Trotta



No último dia 7 de julho, o Tribunal de Justiça Estadual ordenou o despejo das 12 famílias do pré-assentamento São Roque, na Fazenda Providência, em Bom Jesus do Itabapoana, extremo-norte do estado do Rio de Janeiro. A área possuía uma produção agroecológica bastante diversificada.

Famílias Sem Terra sofrem despejo em Macaé

Na manhã desta quarta-feira (17), a Polícia Federal deu início ao despejo do acampamento Osvaldo de Oliveira, na fazenda Bom Jardim, em Macaé (RJ). O latifúndio, que foi ocupado por 400 famílias Sem Terra no último dia 7 de setembro, tem 1600 hectares e foi considerado improdutivo pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) ainda em 2006, por não cumprir com sua função social e ambiental.

Dois acampamentos do MST sofrem despejo violento em PE

Da Página do MST As famílias de trabalhadores rurais Sem Terra acampadas nas fazendas Consulta e Jabuticaba, localizadas no município de São Joaquim do Monte, agreste Pernambucano, estão sofrendo mais um despejo violento nesta terça-feira. A situação é tensa na fazenda Jabuticaba, onde policiais militares passaram a cercar o acampamento no começo da tarde desta terça-feira. As duas fazendas são áreas de conflito histórico.

Brigada Militar se prepara para despejar Sem Terra em Sananduva (Rs)

A Brigada Militar já isolou a Fazenda Bela Vista, em Sananduva - no Norte do estado - e se prepara para despejar as cerca de 200 famílias Sem Terra que ocupam a área desde a madrugada desta quinta-feira (15/4). Os policiais estão aumentando o efetivo e afirmam que irão fazer o despejo, bem como identificar todos os integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), no decorrer desta noite.

Em Campinas, Sem Terra promovem ato nesta sexta

O MST e o Sindicato dos Trabalhadores na Agricultura Familiar convidam para ato político em defesa da Reforma Agrária e contra a criminalização dos movimentos sociais às 8h desta sexta-feira (16/4), no acampamento Roseli Nunes e João Calixto, em Campinas. O acampamento, com 150 famílias, fica na Fazenda Monte D'este, no município de Campinas, que foi declarada improdutiva há dois anos, segundo laudo de vistoria do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra).

Famílias sofrem despejo ilegal em acampamento na Paraíba

Neste momento, as 60 famílias acampadas na Fazenda Mubamba do Rangel no município de Santa Rita estão tendo suas barracas destruídas por aproximadamente 12 policiais e capangas do fazendeiro Eurico Rangel. Sem autorização judicial as famílias estão sendo brutalmente expulsas da fazenda. A situação está tensa no local. No domingo, 60 famílias ocuparam a fazenda Mubamba do Rangel, no município de Santa Rita, área de propriedade de Eurico Rangel e que possui 1200 hectares de terra improdutiva . Essa é a quarta vez que a fazenda é ocupada pelo MST.

Famílias assentadas são ameaçadas de despejo em SP

Leia abaixo nota divulgada pelas famílias assentadas na Fazenda Jamaica, em Pereira Barreto (SP), notificadas para que deixem a área em que estão legalmente assentadas desde 2008. Solicitação de apoio às famílias ameaçadas de despejo em Pereira Barreto (SP) É com tristeza que nós, famílias assentadas na Fazenda Jamaica, no município de Pereira Barreto (SP), recebemos a notícia de que teremos que desocupar a área.

PM faz despejo violento de famílias Sem Terra no RN

O Batalhão de Choque da Polícia Militar realizou um despejo violento de 75 famílias do MST de um latifúndio improdutivo, no município de Touros (a 70 km da capital), na região litorânea do Rio Grande do Norte, na tarde desta terça-feira (30/3). Os 150 soldados do batalhão chegaram ao local em torno das 14h. Logo depois, queimaram os barracos com os pertences das famílias e deixaram seis pessoas feridas, que foram levadas ao Hospital Municipal de Touros.

PM faz despejo violento de famílias Sem Terra no RN

O Batalhão de Choque da Polícia Militar realizou um despejo violento de 75 famílias do MST de um latifúndio improdutivo, no município de Touros (a 70 km da capital), na região litorânea do Rio Grande do Norte, na tarde desta terça-feira (30/3). Os 150 soldados do batalhão chegaram ao local em torno das 14h. Logo depois, queimaram os barracos com os pertences das famílias e deixaram seis pessoas feridas, que foram levadas ao Hospital Municipal de Touros.

Criminalização deixa movimentos sociais alagoanos em alerta

Na tarde do último domingo (28/2), um dia após a reocupação da fazenda Capim, acampamento 1º de Novembro, em Inhapi-AL, o assentado José Aparecido Costa da Silva foi abordado por cinco viaturas da Polícia Militar quando se deslocava de sua casa, no assentamento Frei Damião, para o centro da cidade. O agricultor relata que teve suas algemas tiradas dentro da viatura e que passou cerca de três horas rondando pela zona rural de Inhapi, sendo ameaçado de morte e recebendo pressões dos policiais.

No Maranhão, Ouvidor Agrário tenta evitar despejo

O Desembargador e ouvidor agrário nacional, Gercino José da Silva Filho, fez um pedido formal nesta terça- feira (2/3) ao Juiz Armindo dos Reis Neto, da Comarca de Porto Franco, no sudeste do Maranhão, para que suspenda a liminar de despejo da Fazenda Lote 7, ocupada há treze anos pelo MST. Na área, que tem 1,8 mil ha, vivem 75 famílias desde agosto de 1997, produzindo para sua sobrevivência. No local, muitas casas já foram construídas e muitos investimentos foram feitos, como sítios e plantios de culturas perenes.

Acampamento é ameaçado de despejo no Ceará

Acampadas há mais de dois anos, as 40 famílias do acampamento João Sem Terra, em Senador Pompeu, a 240 Km de Fortaleza (CE), receberam nesta segunda-feira (22/2) uma ordem de despejo. Segundo a direção do MST na região, a área reivindicada pelos trabalhadores e trabalhadoras tem mais de 2 mil hectares, é improdutiva e está abandonada. Os e as Sem Terra pretendem resistir no local. Desde o início da ocupação, as famílias vêm sendo ameaçadas por jagunços da fazenda. No Ceará, mais de 1,5 mil famílias vivem acampadas.

Acampamento do MST é atacado pela milícia de ex-coronel

[img_assist|nid=9116|title=|desc=No canto esquerdo da foto, de camisa azul, o ex-coronel Copetti acompanha seus pistoleiros |link=none|align=left|width=640|height=492]Do Brasil de Fato Por volta das 15h30 de sábado (13/2), o ex-coronel condenado há mais de 18 anos de prisão, Valdir Copetti Neves, tentou despejar à força as famílias acampadas na Fazenda São Francisco II, em Ponta Grossa (PR), que pertence a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). A fazenda foi ocupada no dia 6 de fevereiro por aproximadamente 200 trabalhadores.

Famílias Sem Terra do Sertão de Alagoas sofrem despejo

Na manhã do último dia 2/2, as famílias do acampamento 11 de Novembro, localizado no município de Inhapi, próximo à divisa com Mata Grande, em Alagoas, foram surpreendidas com a chegada de uma brigada militar para expulsá-las das terras da fazenda Capim, onde vivem e produzem há mais de seis anos.