Gerson Teixeira: um balanço da Reforma Agrária no governo Dilma

 

Da Página do MST

Confira análise de Gerson Teixeira, engenheiro agrônomo, especialista em desenvolvimento agrícola e presidente da Associação Brasileira de Reforma Agrária (ABRA) sobre a Reforma Agrária no primeiro mandato do governo Dilma:

O desempenho do programa de reforma agrária de 2011 a 2014 resulta de projetos originários no próprio período mais os projetos de anos anteriores. Juntando tudo temos o quadro abaixo com o número de famílias assentadas por Superintendência do Incra:

O erro Kátia Abreu é ela representar o que há de mais atrasado


Por Igor Felippe Santos *
Do Brasil 247

Antes de fazer qualquer avaliação, vamos apresentar um pressuposto: a agricultura é um setor importantíssimo da economia brasileira, que sustenta o superavit na balança comercial, com a exportação de produtos primários.

A soja em grão, o farelo de soja, a carne bovina, a celulose e os couros e peles estão no topo do ranking dos recordistas em vendas do país no mercado internacional, de acordo com o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

A agroecologia é a solução para a fome e a mudança climática

 

Por Kirtana Chandrasekaran e Martín Drago
Do Envolverde/IPS

Cientistas especializados em mudança climática divulgaram no dia 2 sua mais recente advertência de que a crise climática está piorando rapidamente em vários aspectos. Preveem que a mudança climática afetará a produtividade agrícola, cuja consequência afetará a segurança e a soberania alimentar de muitos países.

Nossos governos adotarão as medidas urgentes e necessárias para abordar essas crises?

Lucro de empresas e bancos está à frente da segurança alimentar

 

Por João Pedro Stedile
Do Portal Uol

O Brasil consome mais de um bilhão de litros de venenos agrícolas por ano. Isso representa 20% de todos os venenos consumidos no mundo, embora sejamos responsáveis por apenas 3% da produção agrícola mundial.

Despejamos 15 litros de venenos por hectare cultivado. Essa realidade não tem paralelo com nenhuma agricultura do mundo, nem há nenhum manual de agronomia que faça tal recomendação.

Povos Indígenas; criminalização e resistência

 

Por Egon Heck*
Do Cimi

Poucos sinais de alento para a luta dos povos indígenas. Apesar do reconhecimento público, por integrantes do governo, sobre a sua atuação tem deixado a desejar, nada indica de que haverá melhoras na política com relação aos povos indígenas. Ao contrário, a possível indicação da senadora Kátia Abreu para o Ministério da Agricultura, significa combustível para o agronegócio e chumbo para os índios.

Do referendo à Constituinte: próximos capítulos prometem mais embates


Por Igor Felippe
Do Escrivinhador

A Dilma Rousseff que venceu as eleições não vai governar. E o Congresso Nacional será uma trincheira de oposição ao desejo de “mais mudanças” que ganhou a disputa no 2º turno.

Foi esse o recado que os setores conservadores, em especial o PMDB, deram aos setores progressistas 48 horas depois da vitória da petista, com a derrubada do Sistema de Participação Social na Câmara dos Deputados.

Terra, teto e trabalho. Uma condenação expressa do sistema capitalista

 

Por Jacques Távora Alfonsin

O discurso do Papa Francisco dirigido aos participantes do Encontro Mundial de movimentos populares, reunidos no Vaticano, a seu convite, na terça-feira passada, acessível em sites da internet no seu inteiro teor, está caracterizado por uma condenação tão contundente das causas da pobreza, que é muito fácil identificar ali a responsabilidade do sistema econômico capitalista por essa situação de injustiça social.

O MST e o latifúndio da mídia em Sergipe: as cercas que precisam ser quebradas


Por Paulo Victor Melo*

Em meio às atenções da população voltadas quase que exclusivamente para a Copa do Mundo e para os últimos momentos de definições das alianças político-eleitorais, uma ação realizada no município de Nossa Senhora da Glória, na última semana, ganhou repercussão na imprensa sergipana e, em alguma medida, em nível nacional. Me refiro à ocupação dos microfones da rádio Xodó FM por integrantes do MST, na quarta-feira passada (25).

Frei Sérgio Antônio: O fracasso do milho transgênico se comprova

Por Frei Sérgio Antônio Görgen*    

“Meu gado repuna o milho  transgênico”. Ouvi esta fase de um pequeno agricultor que me contava que suas vacas se recusavam a comer silagem feita com milho transgênico.

Os supostos cientistas à soldo ou não das transnacionais dirão que é bobagem, que  a rejeição, se houve, foi por outros fatores, etc, etc. Que é alarmismo anticientífico e atraso tecnológico evidente.

Jornada de Agroecologia se consolida numa escola popular e camponesa

Por Ceres Hadich
Da Página do MST

Por muitos anos, a chamada agricultura industrial moderna, embrião de o que nos anos 90 se transformou no agronegócio, foi tomada como a saída para os problemas da fome e da miséria no mundo.

Dessa maneira, décadas de conhecimento e desenvolvimento das forças produtivas e das tecnologias estiveram voltadas a trazer respostas e argumentos que fortalecessem esse discurso.

Enquanto Brasil expande plantio de transgênicos rejeição mundial aumenta

 

Por Washington Novaes
Do O Estado de S. Paulo


É preciso prestar atenção. Em meio a notícias das últimas semanas sobre a possibilidade de aumentar muito, principalmente para a China, as exportações brasileiras de grãos, especialmente de soja, chegam também informações sobre o recrudescimento das controvérsias e das decisões judiciais sobre transgênicos em muitos países – e que podem afetar mercados.

A Monsanto e a “salvação do mundo”. Quem os nomeou à divina missão?


Por Juliana Dias
Do Outras Palavras

O livro-documentário O Mundo Segundo a Monsanto, escrito pela jornalista francesaMarie-Monique Robin, em 2008, é uma daquelas leituras desconcertantes, que me fez uma leitora-investigadora, enquanto avançava com apetite por suas páginas. A autora foi cuidadosa e hábil ao compor o quebra-cabeça complicado com a saga da empresa norte-americana, pioneira na comercialização de produtos químicos e transgênicos.

Tarso Genro: O capital está vencendo. Como a esquerda pode barrá-lo?

Por Tarso Genro
Para a Carta Maior

A  lenta, mas firme desagregação da esquerda européia depois da quebra da URSS, está  ancorada em fatores “objetivos”, tais como as mudanças no padrão de acumulação capitalista -“pós-industrial” como já analisavam alguns economistas  há  trinta anos – que atravessaram a sociedade de alto a baixo.

Para especialista, estrutura do judiciário não permite solucionar conflitos agrários


Por Carlos Marés
Do Brasil de Fato

A Secretaria de Reforma do Judiciário (SRJ) do Ministério da Justiça acaba de publicar o resultado de um interessante estudo sobre soluções alternativas para os conflitos agrários e tradicionais. O Estudo, coordenado e desenvolvido por professores integrantes de Programas de Pós-graduação, teve a parceria da organização Terra de Direitos e do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

Guilherme Delgado: para onde vai a economia do agronegócio?


Por Guilherme Costa Delgado
Para o Brasil de Fato

Analisar este setor de atividade da maneira convencional, qual seja pela medição e comparação dos fluxos de produção das cadeias agroindustriais que vendem insumos ou processam primariamente a produção oriunda da agropecuária é uma forte tentação do mundo empírico, que, contudo leva a problemas de interpretação.

MST, importante aliado da democratização da comunicação

Por Mayrá Lima*

Ao longo desta semana, milhares camponeses e camponesas organizados pelo MST realizaram seu VI Congresso Nacional em Brasília. Na pauta de debates, a organização e luta do movimento para os próximos cinco anos e a apresentação do novo programa agrário, a chamada Reforma Agrária Popular. Uma marcha com 15 mil pessoas ocupou Brasília e a praça dos Três Poderes e foi o 5º assunto mais comentado no mundo através do Twitter. Após isso, uma reação policial que indignou cada militante social ali presente.

Delgado: projeto do agronegócio seria impensável numa democracia real


Da Página do MST

Em artigo, Guilherme Delgado, doutor em Economia pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) – trabalhou durante 31 anos no Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), analisa o significado da atual economia política do agronegócio no Brasil.

Para ele, o campo brasileiro vive numa constante e enorme expropriação por parte do grande capital, representado na figura do agronegócio, e em nada corresponde aos interesses do país.

2013: um balanço negativo para os trabalhadores do campo

Por João Pedro Stedile
Da Caros Amigos

É de praxe aproveitarmos o período de final de ano para sempre fazermos os balanços  críticos das derrotas, conquistas e avanços nos diferentes setores de atividades de nossa sociedade.

Infelizmente, para os trabalhadores que vivem no campo o balanço de 2013 não é nada otimista. Resumidamente poderíamos alinhavar diversas derrotas que o movimento do capital nos impôs. 
 

Rui Daher: quem decide pela liberação de agrotóxicos são os próprios fabricantes

Por Rui Daher
Da Carta Capital

“Perigo, perigo, perigo”, alertava o robô do seriado “Perdidos no Espaço”, produzido pela CBS para a TV dos EUA, entre 1965 e 1968, sucesso também no Brasil.

A imagem aparece sempre que percebo pressões de confederações e associações ligadas ao agronegócio, contra ou a favor de rotinas ou medidas de órgãos que regulam a agropecuária ou instituições de pesquisa que os referendam.

Gerson Teixeira: presente e futuro do mundo rural brasileiro

Por Gerson Teixeira

Em entrevista publicada no jornal Valor Econômico, de 2 de setembro de 2013, o economista Chris Hurt, conceituado especialista em economia rural dos EUA, descartou qualquer cenário de crise estrutural para o agronegócio no futuro.

Chris assegura que o ciclo de alta dos preços agrícolas iniciado há sete anos teria chegado ao fim, com os preços retornando à sua trajetória histórica, mas sem perspectiva de colapso, pois o aperto nas margens seria facilmente suportável pelos produtores.

Conceito de trabalho escravo pode sofrer grave retrocesso


Por Xavier Plassat*
Do sitío Especial PEC: 438 – PEC do Trabalho Escravo

Desde o ano passado, quando os Deputados enfim aprovaram a PEC 57A/1999 (conhecida como PEC do confisco da terra), está no ar uma negociação esdrúxula promovida entre oposição e base governista no intento de garantir um voto favorável por parte dos ruralistas, um grupo que perpassa as fronteiras partidárias.

Paulo Kliass: agronegócio não resolveu a fome e só traz prejuízo à população


Por Paulo Kliass
Da Carta Maior

   
Algumas notícias divulgadas pela imprensa nos últimos tempos têm apresentado sua contribuição para um debate fundamental. Já passou da hora de encararmos com coragem a questão da qualidade de tudo aquilo que comemos e de sua relação estreita com outros aspectos de nossa vida, seja no plano individual, seja na organização em sociedade. Afinal, a frase “somos o que comemos” é atribuída a Hipócrates, há mais de 2 mil anos atrás.

Stedile: Leilão do petróleo é roubo das riquezas do Brasil

 

 

Por João Pedro Stedile
Para o Terra Magazine

 

Mais uma rodada de leilões do petróleo deve acontecer nos dias 14 e 15 de maio no Rio de Janeiro.

A 11ª Rodada de Licitações de Blocos para a Exploração de Petróleo e Gás Natural é organizada pela famigerada Agência Nacional do Petróleo (ANP), criada pelo governo FHC para privatizar uma das nossas maiores riquezas.

Essa rodada é tão importante que ninguém sabe ainda ao certo onde acontecerá.

Os perigos da crescente desnacionalização das terras brasileiras


Da Página do MST

Em artigo para A Revista de Economia e Sociologia Rural, Ségio Sauer e Sérgio Pereira Leite, ambos professores da Univesidade Federal de Brasília (UnB), discutem a questão da estrangeirização das terras brasileiras, em artigo intitulado “Expansão agrícola, preços e apropriação de terra por estrangeiros no Brasil”.

Lento adeus ao Código Florestal


Por Raul Silva Telles do Valle*
Do Instituto Socioambiental

Os grandes jornais estamparam, na semana passada, a foto do bilhete da presidente Dilma endereçado à ministra Isabela Teixeira (Meio Ambiente), no qual extravasa um suposto descontentamento com o acordo fechado entre o Palácio do Planalto e a bancada ruralista para aprovar a Media Provisória (MP) do Código Florestal na comissão mista do Congresso que a analisa. A imagem foi flagrada numa reunião em Brasília.

Fred Magdoff: o antagonismo da produção mercantil de comida causará miséria

 

Por Fred Magdoff
Da Monthly Review
Na Revista Retratos do Brasil

 

O agrônomo brasileiro José Graziano da Silva assumiu no mês passado o cargo de diretor-geral da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO, na sigla em inglês). Em entrevista coletiva concedida na sede da agência, em Roma, ele disse que sua mais alta prioridade à frente do órgão é eliminar a fome no mundo — que, estima-se, aflige cerca de 1 bilhão de pessoas.

As Dívidas e a Dúvida para a Agricultura Familiar

Por Gerson Teixeira

As entidades representativas dos trabalhadores rurais negociam com o governo, medidas para aliviar o quadro atual de endividamento, no crédito rural, dos assentados e agricultores familiares.

Essas negociações dos trabalhadores se repetem desde 2003, quando as dívidas desses segmentos passaram a ser contempladas nos freqüentes instrumentos oficiais de repactuação, inaugurados e tornados corriqueiros pelas pressões dos ruralistas, a partir de meados da década de 1990.

Terminator, o sonho mais desejado das transnacionais

 

Por Silvia Ribeiro
Do grupo ETC
No La Jornada
*
 

Em 1998,  o grupo ETC (então chamado RAFI) denunciou a existência de patentes sobre uma tecnologia que denominou Terminator. Trata-se de uma tecnologia transgênica para fabricar sementes suicidas: são plantadas, dão frutos, mas a segunda geração se torna estéril, obrigando os agricultores a comprarem sementes a cada estação.

Agrocombustíveis e o escândalo dos países do Sul

 

Por François Houtart*
Sacerdote católico e sociólogo belga

A ideia de estender o cultivo dos agrocombustíveis no mundo e particularmente nos países do Sul é desastrosa. Ela forma parte de uma perspectiva global de solução à crise energética. Nos próximos 50 anos teremos que mudar de ciclo energético, passando da energia fóssil, que é cada vez mais rara, a outras fontes de energia.

Rubens Ricupero: suicídio do agronegócio

 

Por Rubens Ricupero
Ex-ministro da Fazenda e ex-secretário-geral
da Unctad (braço da ONU para comércio e desenvolvimento)
Na Folha de S. Paulo

 

Se a agricultura brasileira não conseguir sustentar a impressionante trajetória das últimas décadas, será devido à incapacidade de resolver com inteligência o desafio do meio ambiente.

Os agrotóxicos e as sementes transgênicas

 

Por Althen Teixeira Filho
Professor do Instituto de Biologia
Universidade Federal de Pelotas

 

“Agrotóxico” é um tema sobre o qual poderíamos debater horas ou dias, manifestar opiniões favoráveis ou contra, recomendar o uso ou não, entretanto, independente deste fato, eles são o que são; venenos sintéticos de alta potencialidade produzidos pelo homem para “matar pragas”. Aliás, como negar o óbvio expresso no próprio nome? São biocidas – matam tudo o que tem vida!

Falta coragem para o MDA enfrentar o problema agrário


Por Március A. Crispim
Da Associação Nacional dos Servidores do MDA
Seção Sindical – SINDSEP-DF

No dia 16 de junho os servidores do MDA realizam paralisação das atividades do ministério do desenvolvimento agrário. Internamente, o ato se dará num contexto de jornada de lutas pela melhoria das condições de trabalho e salários no órgão. Externamente, num contexto de derrotas e mortes na agricultura familiar brasileira.

Brasil sem miséria é fazer Reforma Agrária

 

Editorial do Brasil de Fato

 

É louvável a iniciativa do governo de ter um plano para combater a extrema miséria existente em nosso país. Afinal, uma das dez maiores economias do planeta mantém 16,2 milhões de brasileiros vivendo com menos de R$ 70 mensais. Situação que condena essa população a viver em condições subumanas e que envergonha o país.

Via Campesina defende “desmontar” mercados de carbono


Da Via Campesina Internacional

Uma idéia sobressaiu durante a abertura e o desenvolvimento dos trabalhos durante o primeiro dia do Fórum Global “Pela Vida e a Justiça Ambiental e Social”,da Via Campesina: é necessário desmontar os mercados de carbono e o programa REDD que os governos pretendem legitimar na COP16 (Cúpula do Clima da Organização das Nações Unidas).

A Via Campesina e organizações aliadas montaram um acampamento em Cancún, paralelamento à reunião da COP-16.

Desapropriações de latifúndios e os gargalos da Reforma Agrária


Por Vanessa Ramos
Da Página do MST

O 2º Plano Nacional de Reforma Agrária (PNRA), elaborado durante o primeiro mandato do presidente Lula, previa desapropriar 30 milhões de hectares de terras para assentar um milhão de famílias. Tratava-se, portanto, de desapropriar uma quantidade grande de terras, hoje nas mãos de latifundiários.

No entanto, inúmeros tropeços e dificuldades enfrentados pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) prejudicaram a implementação das medidas que garantiriam a desapropriação das terras.

Veja também

Compromissos de Jatene impõem dificuldades à Reforma Agrária

.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

Por João Márcio
Da Página do MST

Antes de entrar em uma reunião com o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), na semana passada, em Marabá, o dirigente estadual do MST Alberto da Silva Lima declarou que “temos menos de dois meses para ainda fazer algo, pois os diálogos se cessarão com Jatene”.

Regularização fundiária no Norte foi prioridade do governo Lula


Por Vanessa Ramos
Da Página do MST

A eleição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em 2002, gerou uma enorme expectativa nas organizações e movimentos sociais rurais para a realização da Reforma Agrária. Esperava-se, principalmente, grandes avanços na criação de assentamentos para as famílias Sem Terra.

Em 2003, havia 230 mil famílias acampadas, das quais 150 mil famílias eram organizadas pelo MST. No entanto, o que se viu de lá pra cá indica que o quadro não foi positivo e as dificuldades das famílias embaixo da lona preta se tornam cada dia mais problemáticas.

Kátia Abreu faz palestra em encontro de juízes patrocinado pela CNA


por Conceição Lemes
Do Vi o Mundo

De 11 a 13 de novembro, a Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) realizou, em Aracaju (SE), o IV Encontro Nacional de Juízes Estaduais, cujo tema foi “Justiça e Desenvolvimento Sustentável”.

O IV Enaje arrecadou R$ 1,05 milhão em patrocínios. Um, em particular, chamou-nos a atenção. Os R$ 100 mil pagos pela Confederação Nacional da Agricultura (CNA), comandada pela senadora Kátia Abreu (DEM-TO).

Apoios ao MST demonstram contradições da mídia


Por Tiago Egídio Avanço Cubas
Pesquisador do Núcleo de Estudos,
Pesquisas e Projetos de Reforma Agrária–Nera

“Eu nasci sem terra,
Sim, é o filho nativo nascido nas armas de Zapata,
passeie pelas cabanas
E pelos escombros das cidades,
Mesmos corpos enterrados famintos
Mas com sobrenomes diferentes,
Estes abutres roubam tudo
Não deixam nada além de correntes,
Escolha um ponto no globo,
Sim, é tudo igual”
Calm Like a Bomb (Rage Against de Machine)

Uma contribuição do MST para a discussão sobre saúde


Por André Carlos Rocha
Do Setor de Saúde MST
Para a Página do MST

A questão ambiental vem sendo discutida no mundo todo, principalmente pela preocupação com o aquecimento global e o futuro do planeta. Neste sentido, os estudos sobre o meio ambiente vem ganhando importância em várias áreas do conhecimento.

Na área da saúde, não é diferente e somente nos últimos anos a temática tem sido tratada com mais relevância, colocando em foco a Saúde Ambiental.

Do trabalho escravo à oportunidade de estudar


Por João Marcio
Da Página do MST

A Emenda Constitucional (PEC) 438/2001, que prevê o confisco de terras de escravagistas, já espera votação no Plenário da Câmara dos Deputados há quase 10 anos.

Por isso, corre sério risco de ficar engavetada, mesmo com apoio de um abaixo-assinado com mais de 168 mil adesões.

No entanto, um caso inédito de desapropriação de terras no Pará, que é campeão nacional, com 70% dos casos, foi baseado na PEC do Trabalho Escravo, assim como ficou conhecido o projeto.

Desafios para a presidenta Dilma Rousseff


Por Leonardo Boff
Teólogo, filósofo e escritor.

Celebramos alegremente a vitória de Dilma Rousseff. E não deixamos de folgar também pela derrota de José Serra que não mereceu ganhar esta eleição dado o nivel indecente de sua campanha, embora os excessos tenham ocorrido nos dois lados.

Os bispos conservadores que, à revelia da CNBB, se colocaram fora do jogo democrático e que manipularam a questão da descriminalização do aborto, mobilizando até o Papa em Roma, bem como os pastores evangélicos raivosamente partidizados, sairam desmoralizados.

Nossa homenagem a Darcy Ribeiro e ao “povo novo”


Da Página do MST

Darcy Ribeiro é um dos principais estudiosos da realidade brasileira. E, mais do que isso, foi um grande brasileiro. Um apaixonado pelo Brasil e seu povo.

Foi antropólogo, escritor e político brasileiro, conhecido por seus estudos em relação aos indígenas e a defesa incansável da educação no país.

Nascido em Montes Claros (MG), em 26 de outubro de 1922, completaria 88 anos nesta terça-feira.

Ele morreu em Brasília, em 17 de fevereiro de 1997.

MST produz alimentos na antiga fazenda de Dantas


Por João Márcio
Da Página do MST

No dia 24 de outubro, 390 famílias do acampamento Dalcídio Jurandir completam dois anos de ocupação na fazenda Maria Bonita, do grupo Santa Bárbara, ligado ao banqueiro Daniel Dantas, em Eldorado dos Carajás (PA). O cenário, antes de pastagem e desmatamento, vai dando lugar à diversidade de plantação. Hoje, os acampados plantam mandioca, batata, mamão, maracujá, arroz, feijão e todos os tipos de hortaliça, além da produção artesanal de farinha.

Bancada ruralista diminui 45%, mas mantém núcleo duro


Por Edélcio Vigna
Assessor do Instituto de Estudos Socioeconômicos- Inesc

A bancada ruralista da legislatura 2006/2011 perdeu 50 de seus 117 integrantes. A bancada era composta de 117 deputados, mas por diversos motivos (cassação, renúncia, novos cargos e falecimento) seis deles foram impedidos de concorrer.

A agroenergia serve à vida ou ao capital?


Por Leonardo Boff
No Jornal do Brasil

No artigo anterior abordamos a energia como um dos maiores enigmas do universo, especialmente, a Energia de Fundo que sustenta o cosmos e cada ser. Agora concentramo- nos na agroenergia, a mais saudada nos dias atuais por causa da crescente exaustão da matriz energética fóssil. Ela é vista como uma espécie de Arca de Noé salvadora do atual sistema.

Naturalmente, a energia, pouco importa seu tipo, é imprescindível para tudo, particularmente é o motor da economia de mercado e serve para todas as civilizações.

A grande festa do boi e da riqueza


Por Frei Henri Burin des Roziers
Advogado da Comissão Pastoral da Terra

Assistindo ao espetáculo que foi a Cavalgada de abertura da Feira Agropecuária de Xinguara, no dia 18 de setembro, fiquei impressionado com a grandiosidade do evento, os inúmeros cavalos enfeitados, com seus cavaleiros e amazonas, as carroças, os carros antigos puxados por bois fortíssimos… até uma imagem de Nossa Senhora Aparecida, com um locutor profissional fazendo uma oração.

Contemplei a apresentação de várias fazendas, destacadamente, daquelas pertencentes ao “Grupo Quagliato”.

Pela ampla liberdade de expressão


[img_assist|nid=10651|title=|desc=|link=none|align=left|width=640|height=480]
Ato denuncia compromisso da imprensa com a classe dominante em São Paulo

Leia a seguir o manifesto dos cidadãos e entidades que participaram, na quinta-feira (23/9), do ato contra o golpismo midiático e em defesa da democracia, realizado no Sindicato dos Jornalistas do Estado de São Paulo, que reuniu mais 700 pessoas.

A guerra da mídia comercial contra os pobres


Por Leonardo Boff
Teólogo, filósofo, escritor e representante
da Iniciativa Internacional da Carta da Terra

Sou profundamente a favor da liberdade de expressão em nome da qual fui punido com o “silêncio obsequioso”pelas autoridades do Vaticano. Sob risco de ser preso e torturado, ajudei a editora Vozes a publicar corajosamente o “Brasil Nunca Mais” onde se denunciavam as torturas, usando exclusivamente fontes militares, o que acelerou a queda do regime autoritário.

Agrotóxico, transgênicos e o novo agronegócio


Por Débora Prado
Da Caros Amigos

A concentração no campo é conhecida inimiga na luta pela justiça social no Brasil. No País do agronegócio – em que usineiro é herói e a reforma agrária é divida histórica centenária – 2,8% das propriedades rurais são latifúndios que dominam mais da metade de extensão territorial agricultável do país (56,7%), segundo os dados levantados pelo Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE) em 2006.