mineração

As Veias Abertas da Mineração

As Veias Abertas da Mineração

Vivemos a alquimia colonial e neo-colonial, que Galeano escreveu em 1978, onde o ouro se transforma em sucata e os alimentos se convertem em veneno.
Minério: guerra se anuncia

Minério: guerra se anuncia

Um sinal de alerta para o Pará se acendeu diante da estratégia da Vale de aumentar ainda mais o já abusivo volume de produção de minério de ferro em Carajás.
Vale: o paradoxo da destruição

Vale: o paradoxo da destruição

Para a empresa privatizada pelo tucanato, o que vale é o minério a ser extraído: dane-se a água, o ar, o solo e as sociedades locais.

Famílias atingidas pela Vale ocupam trilhos da Estrada de Ferro de Carajás


Do Brasil de Fato


Desde domingo (7) várias famílias ocupam os trilhos da Estrada de Ferro Carajás, próximo ao bairro Km 07, em Marabá, na Pará. Os moradores protestam contra vários problemas ocasionados pela duplicação da estrada, iniciada em 2011, como a ampliação de um aterro que fica cada vez mais perto das residências.

Na América Latina, existem 211 conflitos causados pela mineração


Do Canal Ibase


Há pelo menos 211 conflitos causados pela mineração na América Latina. É o que Cesar Padilla, do Observatório de Conflitos de Mineração da América Latina – articulação composta por 40 organizações cujo objetivo é defender comunidades afetadas pela mineração -, afirma na entrevista ao Canal Ibase.

A ofensiva das mineradoras sobre as águas de Minas Gerais



Por Myriam Bahia Lopes e Bruno de Oliveira Biazatti | Fotos: Mídia Ninja
Do Outras Palavras

 

Os minerodutos, tubulações usadas para o transporte rápido e barato de minérios a longas distâncias, estão se multiplicando em Minas Gerais. A Samarco que já possui dois minerodutos ativos, que ligam Germano, em Mariana (MG) a Ubu, em Anchieta (ES), projeta construir mais três, ligando Minas Gerais ao litoral.

Comissão joga “no lixo” contribuições importantes sobre mineração

 

Por Gustavo Gazzinelli*
Do EcoDebate


O Projeto de Lei Substitutivo ao PL 37/2011 – novo Marco Regulatório da Mineração (PLS-MRM) – aprovado por Comissão Especial da Câmara dos Deputados pautou-se pelo seguinte paradoxo: bons propósitos de natureza geral e nenhuma eficácia para alcançá-los.

Movimentos sociais debatem impactos de grandes projetos na Amazônia



Por Reynaldo Costa
Da Página do MST

São inúmeros os impactos sociais, econômicos, culturais e ambientais que diversos projetos têm provocado na Amazônia Legal oriental, transformando a realidade de vários municípios dos estados do Pará e Maranhão. 


O Programa Grande Carajás ainda é responsável pela extração de grande parte da riqueza mineral brasileira, mas sua atuação acaba por criar enormes problemas sociais e ambientais à região.

Um milhão de pessoas já é afetada pela atividade de mineração no Brasil



Por Márcio Zonta
Do Brasil de Fato



No Brasil, a atividade de mineração desenvolvida por 52 empresa de grande, médio e pequeno porte já afeta 1 milhão de pessoas. Desse contingente, parcela considerável estaria no Pará em zonas urbanas e, sobretudo, rurais. Isso porque nos últimos 30 anos, dos 32 eventos minerários ocorridos na região amazônica, 31 foram no estado paraense e apenas um no Amapá.

A sociedade não teve voz no novo Código da Mineração, diz pesquisadora


Da IHU On-Line



“Durante as pesquisas do 'Quem é quem nas discussões do novo Código da Mineração', acabei frisando a ligação financeira entre parlamentares e o setor mineral brasileiro. E posso afirmar que isso é só uma das ligações, é só a ligação visível, palpável”, afirma a pesquisadora.

Teia de interesses liga políticos a mineradoras em debate sobre novo Código



Por Alceu Luís Castilho
Da Agência Pública


As veias do Brasil continuam abertas. De olho nelas, os políticos. Diferentemente da bancada ruralista, os parlamentares ligados à mineração orbitam em torno do poder do PMDB no setor. Mas um PMDB ampliado, com parceiros em outros partidos. A Frente Parlamentar da Mineração Brasileira, com 196 membros, é uma pista falsa sobre o tema. Traz até políticos que criticam abertamente o loteamento no setor.

Fomos atrás da história real. E bem mais intrincada.

Mineração na região da Amazônia é insustentável, diz especialista


Por Rogério Almeida (*)
Do Blog Furo

51 pessoas em condições análogas a escravidão foram libertas em carvoarias no sudeste do Pará. O caso ocorreu no dia 10 de novembro de 2008. As carvoarias integram a cadeia produtiva de ferro gusa na região de Carajás. O fato banalizado e às vezes omitido pela maioria da imprensa ocorreu no mesmo dia da abertura do congresso de mineração organizado pelas grandes empresas do setor, no confortável Hangar Centro de Convenções, em Belém.