Vale

Crimes da Vale agravam enchentes em Minas Gerais e Espírito Santo

Em nota, Movimento dos Atingidos por Barragens aponta que enchentes são reflexo dos crimes socioambientais que seguem impunes, como os da Vale, somados ao histórico de falta de planejamento urbano, ausência de políticas públicas para a garantia de moradia digna e a presença da especulação imobiliária
As Veias Abertas da Mineração

As Veias Abertas da Mineração

Vivemos a alquimia colonial e neo-colonial, que Galeano escreveu em 1978, onde o ouro se transforma em sucata e os alimentos se convertem em veneno.
Minério: guerra se anuncia

Minério: guerra se anuncia

Um sinal de alerta para o Pará se acendeu diante da estratégia da Vale de aumentar ainda mais o já abusivo volume de produção de minério de ferro em Carajás.
Vale: o paradoxo da destruição

Vale: o paradoxo da destruição

Para a empresa privatizada pelo tucanato, o que vale é o minério a ser extraído: dane-se a água, o ar, o solo e as sociedades locais.
indígenas lutam contra Vale

No Pará, indígenas lutam contra Vale

Submetidos a trabalho escravo na ditadura, os Parkatêjê venceram luta por autonomia e agora travam batalha com contra duplicação de ferrovia da mineradora.

Há 20 anos Vale controla sindicalismo e impede eleições em Carajás

 

Por Marcio Zonta
Do Brasil de Fato


Há 20 anos não existiam eleições para concorrer à presidência do sindicato Metabase de Carajás, no Pará – maior sindicato mineiro do país, com aproximadamente 11.500 operários em sua base, dos quais cerca de 4 mil são fiiados.

Famílias atingidas pela Vale ocupam trilhos da Estrada de Ferro de Carajás


Do Brasil de Fato


Desde domingo (7) várias famílias ocupam os trilhos da Estrada de Ferro Carajás, próximo ao bairro Km 07, em Marabá, na Pará. Os moradores protestam contra vários problemas ocasionados pela duplicação da estrada, iniciada em 2011, como a ampliação de um aterro que fica cada vez mais perto das residências.

Estrada de ferro de Carajás: as desgraças do maior trem do mundo


Da Agência Pública


Inaugurada no crepúsculo da ditadura militar, a Estrada de Ferro Carajás, com seus 892 km, liga as minas da Serra dos Carajás (PA) aos portos de Itaqui e Ponta da Madeira, no Maranhão, onde o minério extraído pela Vale S/A é embarcado para exportação.