Movimentos prometem intensificar cobranças sobre governo e Parlamento

 

Por Alex Rodrigues
Da Agência Brasil

 

Centro do debate nesses primeiros dias após a divulgação do resultado das eleições, a economia não será o único desafio a tirar o sossego dos governantes que assumirem em 1º de janeiro. Independentemente do apoio dado durante o pleito, organizações sociais prometem intensificar a vigilância e a pressão sobre a presidenta reeleita Dilma Rousseff, sobre governadores e parlamentares para ver atendidas suas reivindicações e impedir o que classificam de “retrocessos em direitos sociais”.

Sem infraestrutura adequada, Sem Terra trancam rodovia em Tocantins

 

Da Página do MST

Cerca de 70 famílias do MST trancaram BR-010, em Silvanópolis, a 110 km de Palmas (TO), nesta quarta-feira (29).

A mobilização foi motivada pela falta de infraestrutura dos assentamentos da região. 

De acordo com os moradores, não há água encanada ou energia elétrica no local. As cestas básicas que garantiam a segurança alimentar das famílias foram suspensas.

Sem Terra e sem-teto planejam intensificar ações em 2015

 

Por Camilla Veras Mota
Do Valor

Os principais grupos de sem-terra e de sem-teto do país já se organizam para intensificar as mobilizações em 2015. Tanto o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) quanto o Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) não declararam apoio a nenhum dos candidatos no primeiro turno, mas declararam o voto em Dilma Rousseff (PT) no fim da corrida, em rejeição declarada a Aécio Neves (PSDB), considerado uma ameaça às conquistas do período anterior.

Em Brasília, marcha denuncia o genocídio da população negra

 

Da Página do MST

Nesta sexta-feira (22), acontece a 2° Marcha Internacional Contra o Genocídio do Povo Negro, em Brasília.

A mobilizaçõa está sendo convocada pela campanha “Reaja ou será morto(a)”, que se iniciou na Bahia com o movimento luta contra o Racismo e o fim do Genocídio da população negra, em 2005.

A Marcha está organizada em 15 países e 18 estados do Brasil. Além do Distrito Federal, estão confirmados atos em São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Piauí, Maranhão, Rio Grande do Sul, Amazonas e Espírito Santo, entre outros.

Sem avanços, 2.500 trabalhadores rurais permanecem mobilizados no Pará

 

Da Página do MST
 

Mais de 2.500 trabalhadores rurais voltaram às margens da BR 155, em Eldorado dos Carajás (PA), após o fracasso da reunião entre os movimentos sociais do campo com o do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) de Marabá e o Instituto de Terras do Pará (Iterpa), realizada nesta quarta-feira (13).

A reunião entre trabalhadores rurais, a superintendência regional do Incra e representantes do Iterpa terminou sem maiores avanços em relação a pauta apresentada pelos trabalhadores rurais. 

Mais de 2 mil Sem Terra realizam ações em todo o estado do Ceará

 

Por Aline Oliveira
Da Página do MST

Mais de 2.000 Sem Terra realizam ações em diversas partes do estado do Ceará na manhã desta quarta-feira (25).

Por volta das 8h, os trabalhadores rurais trancaram as principais rodovias do estado. Cerca de 250 pessoas fecharam a BR 222, no município de Umirim. No município de Limoeiro do Norte, a BR 116 também foi trancada por cerca de 1.000 trabalhadores. Outros 400 Sem Terra trancaram a BR 020, em Canindé, e a estrada do algodão, no município de Quixadá, também foi bloqueada por 350 pessoas.

Trabalhadores rurais acampam na sede do Incra em Imperatriz, no Maranhão

 

Por Reynaldo Costa
Da Página do MST

Cerca de 150 famílias de trabalhadores rurais ocuparam a sede do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), nesta segunda-feira (26), em Imperatriz, no Maranhão. Os Sem Terra reivindicam maior rapidez em processos de regularização de áreas ocupadas. Algumas famílias estão a mais de oito anos acampadas.

Trabalhadores rurais realizam dia de luta em todo o país

Por Andreia Verdélio e Yara Aquino
Da Agência Brasil

A Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag) organizou nesta terça-feira (20) o Dia D do 20º Grito da Terra Brasil. Promovido em parceria com as federações dos Trabalhadores na Agricultura (Fetags), o Grito da Terra Brasil este ano decidiu descentralizar as mobilizações. Em vez de organizar marcha apenas na capital federal, o movimento promove atos em todo o país.