despejo

Família Sem Terra lutam contra despejo no MS

Família Sem Terra lutam contra despejo no MS

A terra não pode ser objeto de acumulação, especulação e privilégio de poucos, e sim um direito extensivo à todos para garantia da distribuição de renda, trabalho, cuidado ao meio ambiente e dignidade cidadã.

Cerca de 300 famílias Sem Terra correm risco de despejo na Paraíba

 

Da Página do MST


Cerca de 300 famílias Sem Terra correm o risco de serem despejadas a qualquer momento no município de Mari, na região da Várzea, na Paraíba. O despejo estava marcado para as 10h, após as famílias não aceitarem deixar a área.


Os Sem Terra lutam para que a Fazenda Santo Antônio, de 600 hectares, seja desapropriada e destinada à Reforma Agrária, já que ela se encontra improdutiva. As famílias estão na área desde o dia 23 de novembro deste ano.

Sem Terra são despejados violentamente em Itapevi (SP)


Por Erick Miranda
Do Brasil de Fato


A Guarda Municipal de Itapevi, na Grande São Paulo, despejou de forma truculenta cerca de 150 famílias do assentamento Padre João Carlos Pacchin, na madrugada desta quinta-feira (3). As famílias, ligadas ao MST, estavam acampadas em um terreno no bairro Bela Vista. Cerca de quatro carros da guarda, sem ordem judicial, realizaram a desocupação. Alguns Sem Terra sofreram empurrões e humilhação.

Arcebispo Dom Moacir visita Alexandra Kollontai e declara apoio aos Sem Terra


Da Página do MST

O arcebispo da Arquidiocese de Ribeirão Preto, Dom Moacir Silva, visitou as famílias do Acampamento Alexandra Kollontai, em Serrana (SP), na manhã desta segunda-feira (3).

Ao caminhar pela área, Dom Moacir declarou apoio às 450 famílias que estão sendo despejadas desde a última segunda-feira (31).

Duzentos policiais cercam acampamento para despejo de 450 famílias, em SP

 

Da Página do MST

Cerca de 200 policiais militares estão no Acampamento Alexandra Kollontai, em Serrana (SP), desde esta segunda-feira (31), para despejarem as 450 famílias Sem Terra acampadas na área. 


As famílias que ocupam a Fazenda Martinópolis já estão desmontando seus barracos devido a presença massiva do policiamento. No entanto, os Sem Terra e a Defensoria Pública do Estado já fizeram uma petição solicitando a suspensão da reintegração de posse. 

Famílias são despejadas violentamente de área improdutiva no Maranhão


Por Reynaldo Costa
Da Página do MST


A fazenda Arizona, ocupada desde 2007 pelo MST, onde 72 famílias vivem e produzem a sua sustentação, sofreu despejo na quarta-feira passada (26/02).

O despejo, como o ocorrido mês passado no município de Senador La Roque, quebrou mais uma vez as normas de conduta que existem a fim de evitar situações de conflitos maiores durante reintegrações de posse.

Comunidades rurais são despejadas de forma irregular no Maranhão



Por Reynaldo Costa
Da Página do MST

Na manhã desta quarta-feira (13), duas comunidades rurais do Município de Alto Alegre do Maranhão, região central do estado, foram despejadas de maneira irregular.

As duas comunidades são alvos da expansão do agronegócio na região. Umas delas está localizada na área chamada Arame, regularizada em julho deste ano pelo Instituto de Terras do Maranhão (Iterma), ao garantir juridicamente a posse dos 330 hectares às famílias que há décadas vivem na área.

Suzano quer despejar comunidade centenária em Matões do Norte (MA)



Por Reynaldo Costa
Da Página do MST

A empresa Suzano Papel Celulose ameaça de despejo cerca de 80 famílias moradoras de uma comunidade tradicional em Matões do Norte, no estado do Maranhão.

A área de oito mil hectares é ocupada pela quarta geração dessas famílias, que há mais de 100 anos se sustentam do uso da terra, preservam o meio ambiente e mantêm ali sua cultura tradicional.

No pedido de reintegração de posse apresentado à Justiça de Matões, no entanto, a Suzano acusa as famílias de invasora e criminaliza lideranças da comunidade.

Em Uberlândia, Sem Terra correm o risco de serem despejados da beira de estrada



Da Página do MST


As famílias Sem Terra do Acampamento 1º de Maio, no município de Uberlândia (MG), correm o risco de serem despejadas nesta sexta-feira (4).

Acampadas na rodovia Airton Sena (km 329), as famílias receberam na última terça-feira (1) o ofício de reintegração de posse.

Faz mais de dois anos que elas estão acampadas neste local, aguardando o desenrolar da Fazenda São Francisco Letreiros. De acordo com os Sem Terra, pelo tempo de tramitação da área, a fazenda já deveria ter sido decretada.

Grileiros querem despejar Sem Terra para especular com área ocupada no TO


Da Página do MST

Mais de 200 famílias Sem Terra correm o risco de serem despejadas de um acampamento próximo a Agrotins, em Tocantins.

Há mais de dois meses acampadas, as famílias receberam na última sexta-feira (30) uma liminar de reintegração de posse expedida pelo Juiz Zacarias Leonardo, da 4ª vara cível de Palmas.

A área conta com mais de 157 hectares e está a 20 km de Palmas. Em 17 de dezembro de 2010, ela foi vendida pelo Instituto de Terras do Estado do Tocantins (Intertins) a Benedito Neto de Faria e Rossine Aires Guimarães.

Jagunços despejam Sem Terra sem liminar de reintegração de posse em PE


Por Ramiro Olivier
Da Página do MST


Neste domingo (18), 70 famílias Sem Terra foram mais uma vez despejadas da Fazenda Ameixas, no município de Cumaru, em Pernambuco.

Esse foi o 19º despejo das famílias na área, que pertence a Fabio Clemente, ex-juiz do trabalho, mesmo sem ter liminar de reintegração de posse. 

Juiz de MG quer despejar 180 famílias Sem Terra após oito anos de luta


Da Página do MST

Há oito anos acampadas na Fazenda Prata, no município de Pirapora, Norte de Minas Gerais, as 180 famílias Sem Terra do Acampamento José Bandeira, do MST, correm o risco de serem despejadas.

No começo do mês de agosto, o juiz da Vara Agrária de Minas Gerais, Octávio de Almeida Neves, concedeu uma liminar de reintegração de posse para que as famílias fossem despejadas da área, mesmo sem ter visitado a fazenda, como relatam os Sem Terra.

Sem Terra sofrem despejo de área grilada no estado de Tocantins


Da Página do MST


Na manhã desta quarta-feira (31), 150 famílias Sem Terra do acampamento Sebastião Bezerra, à 30 km de Palmas, em Tocantins, foram despejadas pela Polícia Militar, após mandato de reintegração de posse concedido pela justiça.

Os Sem Terra denunciam que as terras são públicas, mas foram tituladas de forma irregular pelo governo do estado e entregues à fazendeiros e especuladores em troca de votos e favores.

Cerca de mil famílias Sem Terra são despejadas em Pernambuco


Da Página do MST

Na manhã desta quinta-feira (13), cerca de mil famílias Sem Terra foram despejadas no município de Arco-Verde , região Ipanema do Pernambuco. 

Dois micro-ônibus de policiais militares executaram a eliminar de despejo. Segundo o a direção estadual do MST, os policiais foram agressivos com as famílias, mas pelo fato das famílias terem saído pacificamente, o conflito foi evitado.

Movimento Terra Livre pede apoio contra reintegração de posse em Alagoas

 
Da Página do MST
 
Nesta segunda-feira (18), 300 famílias do Movimento Terra Livre, no município de Messias (AL), foram despejadas da ocupação Che Guevara, onde há 5 anos haviam ocupado um terreno baldio da prefeitura de Messias e construído uma comunidade.

Dessa forma, o Movimento Terra Livre pede apoio de toda a sociedade contra a reintegração de posse da área, por meio de uma moção de repúdio.

Veja o pedido do movimento:

Incra afirma que está agindo para evitar despejo do Milton Santos

 

 

Da Página do MST

O Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) divulgou em nota na terça-feira (15), seu posicionamento em relação à decisão judicial de que as famílias do assentamento Milton Santos devem ser despejadas até o dia  24 de janeiro. O Incra recebeu notificação judicial no dia 09 de janeiro, exigindo que o assentamento seja desocupada em até 15 dias.

Após despejo, famílias são enviadas para Lixão em Minas Gerais


Por José Coutinho Júnior
Da Página do MST

“Esse despejo foi um dos maiores absurdos ocorrido em Minas nos últimos dez anos. A ação ocorreu em tempo recorde, ignorando o recurso em favor das famílias, que já foi enviado pelo Ministério Público e fez com que o Tribunal de Justiça suspendesse a liminar de despejo”. Essa é a denúncia feita pelo o procurador do Ministério Público de Minas Gerais, Afonso Henrique de Miranda, sobre o despejo de cerca de 130 famílias Sem Terra.

GDF pretende despejar 670 famílias do Acampamento 22 de agosto


Da Página do MST*

As famílias organizadas pelo MST e MATR denunciam o uso irregular da Fazenda Gama, localizada na BR 040, no DF. A Terracap, por sua vez, quer utilizar a área para a construção de setor habitacional urbano sem apresentar alternativas para os agricultores.

Após audiência com a Ouvidoria Agrária Nacional no último dia 31/10, o  Acampamento 22 de agosto, formado por 670 famílias do MST e MATR, tem o prazo de um mês para se retirar da área da Fazenda Gama, localizada na BR 040, próximo ao balão do Catetinho, no DF.

Famílias são despejadas após Juiz Federal revogar imissão de posse em SE


Por Petrônio da Silva
Da Página do MST


Na manhã desta quarta-feira (11) 15 famílias Sem Terra que vivem na fazenda Atalho/Curimatãs, no município de Pacatuba, em Sergipe, tiveram a imissão de posse da área revogada e foram despejadas.

As famílias estavam aguardando a chegada do oficial de Justiça sob posse do mandado de reintegração de posse nº 0003001361-0/2012 que pedia a retirada das mesmas dentro de cinco dias.

Movimentos fazem atos contra reintegração de posse em Tocantis




Por Lia Gonçalves
Da Página do MST
 

Os movimentos sociais do Tocantins farão dois atos políticos no dia 17 de abril (terça-feira) em contraponto a reintegração da área ocupada por mil famílias do MST e do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), o acampamento Sebastião Bezerra. A primeira ação será às 14h, na entrega do recurso da liminar da reintegração no Tribunal de Justiça, em Palmas. O segundo ato, também na terça-feira, será às 18h, no próprio acampamento Sebastião Bezerra, que fica na rodovia TO-050, entre Palmas e Porto Nacional.

Incra se omite e famílias são despejadas no interior do Rio

 

Por Fernando Moura e Mariana Trotta



No último dia 7 de julho, o Tribunal de Justiça Estadual ordenou o despejo das 12 famílias do pré-assentamento São Roque, na Fazenda Providência, em Bom Jesus do Itabapoana, extremo-norte do estado do Rio de Janeiro. A área possuía uma produção agroecológica bastante diversificada.

Famílias Sem Terra sofrem despejo em Macaé

Na manhã desta quarta-feira (17), a Polícia Federal deu início ao despejo do acampamento Osvaldo de Oliveira, na fazenda Bom Jardim, em Macaé (RJ). O latifúndio, que foi ocupado por 400 famílias Sem Terra no último dia 7 de setembro, tem 1600 hectares e foi considerado improdutivo pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) ainda em 2006, por não cumprir com sua função social e ambiental.

Dois acampamentos do MST sofrem despejo violento em PE

Da Página do MST As famílias de trabalhadores rurais Sem Terra acampadas nas fazendas Consulta e Jabuticaba, localizadas no município de São Joaquim do Monte, agreste Pernambucano, estão sofrendo mais um despejo violento nesta terça-feira. A situação é tensa na fazenda Jabuticaba, onde policiais militares passaram a cercar o acampamento no começo da tarde desta terça-feira. As duas fazendas são áreas de conflito histórico.

Brigada Militar se prepara para despejar Sem Terra em Sananduva (Rs)

A Brigada Militar já isolou a Fazenda Bela Vista, em Sananduva - no Norte do estado - e se prepara para despejar as cerca de 200 famílias Sem Terra que ocupam a área desde a madrugada desta quinta-feira (15/4). Os policiais estão aumentando o efetivo e afirmam que irão fazer o despejo, bem como identificar todos os integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), no decorrer desta noite.

Em Campinas, Sem Terra promovem ato nesta sexta

O MST e o Sindicato dos Trabalhadores na Agricultura Familiar convidam para ato político em defesa da Reforma Agrária e contra a criminalização dos movimentos sociais às 8h desta sexta-feira (16/4), no acampamento Roseli Nunes e João Calixto, em Campinas. O acampamento, com 150 famílias, fica na Fazenda Monte D'este, no município de Campinas, que foi declarada improdutiva há dois anos, segundo laudo de vistoria do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra).

Famílias sofrem despejo ilegal em acampamento na Paraíba

Neste momento, as 60 famílias acampadas na Fazenda Mubamba do Rangel no município de Santa Rita estão tendo suas barracas destruídas por aproximadamente 12 policiais e capangas do fazendeiro Eurico Rangel. Sem autorização judicial as famílias estão sendo brutalmente expulsas da fazenda. A situação está tensa no local. No domingo, 60 famílias ocuparam a fazenda Mubamba do Rangel, no município de Santa Rita, área de propriedade de Eurico Rangel e que possui 1200 hectares de terra improdutiva . Essa é a quarta vez que a fazenda é ocupada pelo MST.

Famílias assentadas são ameaçadas de despejo em SP

Leia abaixo nota divulgada pelas famílias assentadas na Fazenda Jamaica, em Pereira Barreto (SP), notificadas para que deixem a área em que estão legalmente assentadas desde 2008. Solicitação de apoio às famílias ameaçadas de despejo em Pereira Barreto (SP) É com tristeza que nós, famílias assentadas na Fazenda Jamaica, no município de Pereira Barreto (SP), recebemos a notícia de que teremos que desocupar a área.

PM faz despejo violento de famílias Sem Terra no RN

O Batalhão de Choque da Polícia Militar realizou um despejo violento de 75 famílias do MST de um latifúndio improdutivo, no município de Touros (a 70 km da capital), na região litorânea do Rio Grande do Norte, na tarde desta terça-feira (30/3). Os 150 soldados do batalhão chegaram ao local em torno das 14h. Logo depois, queimaram os barracos com os pertences das famílias e deixaram seis pessoas feridas, que foram levadas ao Hospital Municipal de Touros.

PM faz despejo violento de famílias Sem Terra no RN

O Batalhão de Choque da Polícia Militar realizou um despejo violento de 75 famílias do MST de um latifúndio improdutivo, no município de Touros (a 70 km da capital), na região litorânea do Rio Grande do Norte, na tarde desta terça-feira (30/3). Os 150 soldados do batalhão chegaram ao local em torno das 14h. Logo depois, queimaram os barracos com os pertences das famílias e deixaram seis pessoas feridas, que foram levadas ao Hospital Municipal de Touros.

Criminalização deixa movimentos sociais alagoanos em alerta

Na tarde do último domingo (28/2), um dia após a reocupação da fazenda Capim, acampamento 1º de Novembro, em Inhapi-AL, o assentado José Aparecido Costa da Silva foi abordado por cinco viaturas da Polícia Militar quando se deslocava de sua casa, no assentamento Frei Damião, para o centro da cidade. O agricultor relata que teve suas algemas tiradas dentro da viatura e que passou cerca de três horas rondando pela zona rural de Inhapi, sendo ameaçado de morte e recebendo pressões dos policiais.

No Maranhão, Ouvidor Agrário tenta evitar despejo

O Desembargador e ouvidor agrário nacional, Gercino José da Silva Filho, fez um pedido formal nesta terça- feira (2/3) ao Juiz Armindo dos Reis Neto, da Comarca de Porto Franco, no sudeste do Maranhão, para que suspenda a liminar de despejo da Fazenda Lote 7, ocupada há treze anos pelo MST. Na área, que tem 1,8 mil ha, vivem 75 famílias desde agosto de 1997, produzindo para sua sobrevivência. No local, muitas casas já foram construídas e muitos investimentos foram feitos, como sítios e plantios de culturas perenes.