Comandante do Massacre de Eldorado do Carajás tenta prisão domiciliar

Da Página do MST

Em maio de 2012, os acusados pelo assassinado de 19 Trabalhadores Rurais Sem Terra em Eldorado do Carajás (PA), em abril de 1996 – no que ficou conhecido como o Massacre de Eldorado do Carajás – passaram a cumprir a pena 10 anos depois da condenação pelo tribunal do Júri, em 2002.

Passado apenas cinco meses da prisão, os advogados de defesa tentam a transferência do réu Mario Colares Pantoja para prisão domiciliar, sob a alegação de que o preso “está muito doente e precisa envelhecer com dignidade”.