Sem Terra ocupam usina falida em Mato Grosso do Sul

Da Página do MST

A área de ocupação fica na usina sucroenergética Agrisul Agrícola unidade de MS, no distrito de Quebra Coco, em Sidrolândia.

Neste sábado (17), cerca de 100 famílias do MST ocuparam uma área da Usina Sucroenergética Agrisul Agrícola, em Mato Grosso do Sul, no distrito de Quebra Coco, em Sidrolândia, a 70 km de Campo Grande.

As famílias exigem a desapropriação da área e a criação de um assentamento no local.

Após anos de luta, Sem Terra conquistam maquinário no MS


Por Karina Vilas Boas
Da Página do MST

Fotos: Eliel

Há tempos os Sem Terra do Mato Grosso do Sul, junto a outros movimentos de luta pela terra, pressionam os órgãos institucionais competentes para a aquisição de uma patrulha mecanizada para dar condições dignas de trabalho às famílias assentadas, e melhorar as vias de estrada do assentamento Itamarati, em Ponta Porã, um dos maiores do Brasil.

Funai deve ser multada em mais de R$ 1,7 mi por não demarcar terras indígenas

Do MPF/MS

O Ministério Público Federal em Mato Grosso do Sul irá pedir execução judicial de multa contra a Fundação Nacional do Índio (Funai), por descumprimento do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado em 2007, prevendo a demarcação dos territórios indígenas em Mato Grosso do Sul. A multa diária é de mil reais e o valor acumulado chega a R$ 1,716 milhão (calculado em 13/06).

Relatório aponta graves violações de direitos indígenas no Mato Grosso do Sul

 

Da Página do MST

A Relatoria do Direito Humano à Terra, Território e Alimentação divulgou nesta segunda-feira (16) o relatório “Violações de direitos humanos dos indígenas no Estado do Mato Grosso do Sul”. 

O documento destaca a situação de vulnerabilidade vivida pelos povos indígenas Guarani e Kaiowá no Estado, como resultado de uma missão de investigação realizada pela Relatoria nos dias 13 a 17 de agosto de 2013.

Em ato público, Sem Terra colocam a necessidade da Reforma Agrária

Por Eliel Freitas Jr
Da Página do MST

Mais de 2 mil pessoas estiverem presentes, nesta terça-feira (10), no ato público com o ministro Miguel Rossetto, do Ministério do Desenvolvimento Agrária (MDA), o presidente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Carlos Guedes, e diversas autoridades no Assentamento Itamarati, no município de Ponta Porã, em Mato Grosso do Sul.

Avanço do agronegócio faz suicídio entre indígenas ser o maior em 28 anos

 

Por Carolina Fasolo
Do Cimi

No dia 3 de abril, quando amanheceu em uma aldeia Guarani-Kaiowá, localizada no sul do estado de Mato Grosso do Sul, a mãe de três filhos abriu a porta de casa e paralisou ao ver o corpo frágil de sua menina mais nova suspenso pelo lençol, amarrado à árvore por um nó que parecia firme. No dia anterior, a garota havia completado 13 anos.

MST ocupa Incra, Banco do Brasil e tranca duas rodovias no MS

Por Karina Vilas Boas
Da Página do MST

A sede do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) em Campo Grande, Mato Grosso do Sul, amanheceu ocupada pelos movimentos sociais do campo nesta segunda-feira (5), como parte das atividades da Jornada Nacional de Luta pela Reforma Agrária. 

Além do Incra, os Sem Terra também ocuparam o Banco do Brasil, em Aquidauana, e trancaram as rodovias 163 (Itaquirai) e 267 (Nova Andradina). 

Após 4 anos de luta, 171 famílias serão assentadas em Sidrolândia (MS)

Por Karina Vilas Boas
Da Página do MST

Nesta sexta-feira (20), centenas de Sem Terra participam do ato de entrega da Fazenda Nazaré, localizada no município de Sidrolândia, no Mato Grosso do Sul, onde serão assentadas 171 famílias.

Após quatro anos de luta, a área de 2,4 hectares foi desapropriada pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) no dia 7 de julho deste ano.

Leia mais:
“2013 é o pior ano da Reforma Agrária”, diz João Paulo Rodrigues

Ruralistas respondem ao ‘Leilão da Milícia’ com ameaças de morte


Do Cimi

Com perplexidade o Conselho Indigenista Missionário (Cimi) chama a atenção da sociedade brasileira e cobra providências do governo federal diante dos episódios que sucederam a decisão da juíza da 2ª Vara Federal, Janete Lima Miguel, de Campo Grande, Mato Grosso do Sul, que declara como ilícito os fins do ‘Leilão da Resistência’, organizado pelas entidades ruralistas Acrissul e Famasul para este sábado. A ação contra o leilão foi proposta pela Aty Guasu – Guarani Kaiowá – e Conselho Terena